Diretor técnico nacional considera participação "bastante boa"

Dois recordes nacionais e uma medalha de bronze são uma participação "bastante boa" de Portugal nos Mundiais de pista coberta, em Birmingham, afirmou o diretor técnico nacional, que espera quadruplicar o número de atletas na próxima competição

"Foram uns campeonatos bastante bons para Portugal", disse José Santos à agência Lusa, destacando o terceiro lugar de Nélson Évora no triplo salto, no sábado, com uma marca de 7,40 metros, um novo recorde nacional, tal como os 3:35.43 minutos da estafeta 4x400 metros feminina.

Para Santos, a prestação da equipa composta por Filipa Martins, Cátia Azevedo, Rivinilda Mentai e Dorothé Évora corresponde à de "finalista".

"Foi oitava classificada no cômputo geral, o que se pode considerar um bom resultado para Portugal. Tirámos quase seis segundos ao anterior recorde, o que é substancialmente bom", justificou.

O diretor técnico nacional elogiou também a oitava posição de Lecabela Quaresma no pentatlo, com 4.424 pontos, o que corresponde à melhor marca portuguesa de 2018 e à terceira melhor marca de sempre da atleta.

Tsanko Arnaudov, 12.º no peso, com 19,93 metros, Cátia Azevedo, 29.ª nos 400 metros, com 54,17 segundos, e Lorene Bazolo, 34.ª nos 60 metros, com 7,39 segundos, foram os outros portugueses presentes nos Mundiais, que encerram hoje.

O responsável da Federação Portuguesa de Atletismo atribui a "juventude" e a "nervosismo" desempenhos aquém do esperado, admitindo que "alguns resultados podiam ter sido melhores".

Porém, considera que o balanço é positivo e abre boas perspetivas para a próxima grande competição, que serão os campeonatos da Europa ao ar livre, programados para Berlim, entre 07 e 12 de agosto.

A inclusão de disciplinas como a marcha, onde Portugal compete pelos primeiros lugares, antecipa que mais atletas consigam os mínimos de acesso, calculando a presença entre 30 a 40 elementos.

"Penso que há aqui boas indicações para estarmos presentes com uma equipa bastante boa. São os campeonatos mais abertos, onde podemos ter outras classificações, porque estamos a competir com a Europa", antecipou o diretor técnico.

O Campeonato do Mundo de pista coberta encerra hoje, depois de quatro dias de competição em Birmingham.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Dos pobres também reza a história

Já era tempo de a humanidade começar a atuar sem ideias preconcebidas sobre como erradicar a pobreza. A atribuição do Prémio Nobel da Economia esta semana a Esther Duflo, ao seu marido Abhijit Vinaayak Banerjee e a Michael Kremer, pela sua abordagem para reduzir a pobreza global, parece indicar que estamos finalmente nesse caminho. Logo à partida, esta escolha reforça a noção de que a pobreza é mesmo um problema global e que deve ser assumido como tal. Em seguida, ilustra a validade do experimentalismo na abordagem que se quer cada vez mais científica às questões económico-sociais. Por último, pela análise que os laureados têm feito de questões específicas e precisas, temos a demonstração da importância das políticas económico-financeiras orientadas para as pessoas.