Argel: "Luisão vai ficar na história do Benfica"

Antigo defesa central brasileiro, que "recebeu" Luisão na Luz em 2003, prevê futuro de dirigente para capitão dos encarnados

O ex-futebolista brasileiro Argel, central que viu Luisão chegar em 2003 ao Benfica, acredita que o 'capitão' dos 'encarnados' deverá continuar no clube, trilhando o caminho de Rui Costa, Nuno Gomes ou Shéu Han.

"Eu vejo o Luisão muito no caminho do Nuno Gomes, do Rui Costa, do Shéu, mais ou menos trilhando o que esses jogadores foram para o Benfica e que o Luisão também representa hoje", considerou Argel, em entrevista à agência Lusa.

Para Argel é, assim, muito provável que futuro seja no Benfica: "Quando pendurar as chuteiras, pendurar as botas, vai trabalhar no clube, vai trabalhar como treinador, como auxiliar, como gerente no futebol, qualquer coisa desse tipo".

Argel foi um dos futebolistas brasileiros que há 14 anos integrava o plantel do Benfica, então treinado pelo espanhol Jose Antonio Camacho, e que viu o clube apostar na contratação de Luisão ao Cruzeiro.

"É um jogador que tem um peso muito grande dentro do balneário, uma grande contratação do Luís Filipe Vieira, juntamente com o Giuliano Bertolucci (empresário). Foram lá comprá-lo", explicou.

O atual treinador do Vitória Bahia aproveitou para enaltecer a personalidade de Luisão, lembrando o miúdo que chegou à Luz aos 22 anos, mas que na primeira época quis ir embora, longe de imaginar o que peso que teria.

"A primeira temporada do Luisão foi muito difícil. Ele teve muitas lesões, machucou-se bastante, pensou em ir embora e tivemos de o acalmar, pois era um jogador para o futuro", contou Argel.

O antigo central, que também representou o FC Porto, assinalou também que Luisão surge na Luz na senda de uma tradição de centrais brasileiros que tiveram sucesso na Luz.

"O Benfica sempre se deu muito bem com centrais brasileiros: teve Mozer, Ricardo Gomes, Ronaldo. Os centrais brasileiros sempre conseguiram fazer um bom papel defendendo a equipa do Benfica", lembra.

Luisão tem 36 anos e está prestes a completar 500 jogos ao serviço do Benfica -- apenas atrás de Nené, Veloso e Coluna -, pelo que Argel reforça que o futuro do internacional brasileiro será Portugal, dizendo mesmo que o central já é mais português.

"Ele é muito mais português do que brasileiro, a identificação dele é muito grande. Fico feliz e orgulhoso por ter jogado ao lado do Luisão, de ter participado, por o ter ajudado, miúdo, quando chegou no Benfica", referiu ainda.

Em relação ao futuro e num momento em que Luisão cumpre a 14.ª época na Luz, Argel considera que o compatriota ainda poderá jogar mais tempo, apesar dos 36 anos, lembrando que é um jogador com poucas lesões.

"Acho que ainda tem condições de jogar, machuca-se muito pouco, tem uma condição física invejável", explicou.

No Benfica, Luisão tem sido uma das principais opções de Rui Vitória, em especial na presente época, com o treinador a apostar muitas vezes no brasileiro para o campeonato, ao lado do sueco Lindelöf.

Para o lugar, existem também o argentino Lisandro López e o brasileiro Jardel, dupla com algumas oportunidades, bem como a jovem promessa croata Kalaica, que tem atuado na equipa B.

Exclusivos