Vincenzo Nibali com Tour de 2015 em risco

A UCI não atribuiu licença à Astana para competir no World Tour depois dos cinco casos positivos de doping este ano. Vencedor do Tour fica à espera do recurso para decidir futuro.

A União Ciclista Internacional (UCI) deixou a Astana fora do World Tour para 2015. Os cinco casos de doping detetados este ano (três dos quais na equipa continental) acabaram por precipitar a decisão contra o conjunto cazaque - um dos mais fortes do ciclismo mundial - que fica agora dependente da decisão do Tribunal Arbitral de Desporto.

O líder da equipa, Alexander Vinokourov, suspendeu há pouco tempo a equipa continental numa tentativa de salvar a licença World Tour, mostrando-se confiante que não teria problemas. No entanto, a Gazzetta Dello Sport avança que a UCI optou por deixar a Astana de fora do World Tour o que deixa a equipa a precisar de convites para participar nas principais competições. Vinokourov vai recorrer ao Tribunal Arbitral do Desporto, mas se a decisão da UCI se mantiver poderá provocar uma movimentação inesperada de ciclistas.

A Astana tem nas suas fileiras Vincenzo Nibali, vencedor este ano do Tour (e um dos poucos ciclistas que venceu as três grandes voltas), que tem como grande objetivo da temporada de 2015 repetir a vitória na Volta a França. Para já o italiano mantém-se na expectativa, mas se a Astana não recuperar a licença, Nibali poderá procurar uma nova equipa para garantir a participação no Tour.

Segundo a Gazzetta Dello Sport, se o Tribunal Arbitral do Desporto confirmar a decisão da UCI, os atuais contratos serão anulados, deixando os ciclistas livres para procurar outras equipas. Além de Nibali, de recordar que a Astana conta ainda com Fabio Aru (terceiro no Giro e quinto na Volta), que é visto como um dos ciclistas com um promissor futuro na modalidade, entre outros atletas de grande valor.

Os irmãos Maxim e Valentin Iglinskiy foram os primeiros a terem controlos antidoping positivos (acusaram EPO). Devido a estes casos a Astana autosuspendeu-se da Volta a Pequim, respeitando as regras do Movimento por um Ciclismo Credível. Seguiram-se os positivos dos jovens da equipa continental Artur Fedosseyev (20), Ilya Davidenok (22), Victor Okishev (20).

Esta não é a primeira vez que a Astana se vê envolvida num caso como este. Em 2006 e 2008 a equipa cazaque ficou de fora da Volta a França precisamente devido ao caso de doping. O próprio Alexander Vinokourov cumpriu dois anos de suspensão depois de ter acusado positivo num teste antidoping após a vitória numa etapa da Volta a França em 2007.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG