Nuno Ribeiro pondera recorrer da suspensão por doping

O corredor Nuno Ribeiro pondera recorrer do castigo aplicado pela Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC), por discordar da aplicação da suspensão de dois anos por doping apenas a partir de 29 de Setembro.

"Qualquer hipótese é viável. Pondero essa situação", disse Nuno Ribeiro à agência Lusa, explicando que não entende por que razão a Comissão Disciplinar da FPC não aplica o castigo a partir da data do controlo antidoping positivo, ou seja, 3 de Agosto, dois dias antes do início da Volta a Portugal.

O órgão disciplinar, que na sexta feira anunciou o castigo de dois anos ao vencedor da Volta a Portugal de 2009, entende que deve aplicar a sanção a partir da data do pedido de contra-análise.

"Tenho dois colegas de equipa que acusaram no mesmo dia e o resultado do castigo é diferente", acrescentou Nuno Ribeiro, referindo-se aos espanhóis Hector Guerra e Isidro Nozal, também "apanhados" com EPO-CERA (eritropoietina de ação prolongada) e cujo período de suspensão foi considerado a partir do dia do controlo.

No entanto, ao contrário de Nuno Ribeiro, Hector Guerra e Isidro Nozal não requereram a análise da amostra B.

"Desde o início [do processo] que pondero não terminar a carreira. Não queria acabar assim", sublinhou o corredor de Sobrado Valongo, de 32 anos, que pode falhar o regresso à Volta em 2011, se prevalecer a decisão da comissão disciplinar, embora o corredor, vencedor da prova em 2003, se manifeste "tranquilo".

Se Nuno Ribeiro recorrer para o Conselho Jurisdicional da FPC, os resultados da Volta a Portugal de 2009 vão continuar por homologar.

Na sexta feira, a FPC anunciou que "foi proferida Decisão Final pelo Conselho Disciplinar, tendo o corredor sido sancionado com uma suspensão da actividade de 24 meses, e a anulação do resultado obtido na Volta a Portugal de 2009", pelo que a vitória deve ser atribuída ao espanhol David Blanco (Palmeiras Resort-Tavira), vencedor das edições de 2006 e 2008.

A decisão surgiu 12 dias antes do início da 72.ª edição da Volta a Portugal, que arranca a 4 de Agosto, em Viseu, e termina a 15, em Lisboa.

Nuno Ribeiro é o quarto corredor a perder o triunfo na Volta a Portugal devido a um teste antidoping positivo, depois de Marco Chagas (1979), Joaquim Agostinho (1969 e 1973) e Fernando Mendes (1978).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG