Associação de Ciclistas Profissionais defende Froome

O líder da centésima edição da Volta a França tem sido alvo de insinuações que apontam para o consumo de doping, mas a CPA lembrou que "não é justo culpar alguém sem provas".

A Associação de Ciclistas Profissionais (CPA) reagiu às suspeitas de consumo de doping do britânico Christopher Froome, líder da Volta a França, referindo não ser justo culpar alguém sem provas.

Froome realizou 48 controlos em 2013, 19 dos quais na presente edição do Tour, e a CPA já disse, em comunicado, que é preciso "respeito".

"Não é justo culpar alguém sem provas. Exigimos respeito pelo Chris Froome. Todos os dias há um ataque contra a dignidade dos ciclistas e isso é intolerável", reagiu o presidente da CPA, Gianni Bugno.

O ex-ciclista italiano lamentou ainda a diferença para outros desportos e que no caso de Froome é "especialmente grave" por não existir qualquer prova. O CPA explicou ainda que os ciclistas são os mais controlados, mas que frequentemente são tratados como "desonestos".

A equipa de Froome, a Sky, divulgou os números dos controlos do ciclista, sem revelar valores, mas aceitou que os mesmos fossem analisados por um especialista francês, Fred Grapp, da área da biomecânica e fisiologia do treino

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG