A redenção de Sagan: finalmente venceu com a camisola de campeão do mundo

Eslovaco estava a somar vários segundos lugares este ano, mas conseguiu a vitória a uma semana do primeiro monumento: a Volta a Flandres

O campeão do mundo Peter Sagan (Tinkoff) desforrou-se do insucesso de sexta-feira ante Michal Kwiatkowski (Sky), em Harelbeke, Bélgica, ao vencer hoje a 'clássica' Gent-Wevelgem, somando o segundo triunfo da carreira nesta prova da Flandres.

O eslovaco da Tinkoff tem sido confrontado com a falta de vitórias em 2016 e com as opções de corrida que toma, mas hoje juntou-se ao grupo fugitivo no momento certo, esperando até ao último momento do 'sprint' para se estrear a ganhar nesta temporada, e logo numa 'clássica' da Flandres.

Nesta ligação de 242,8 quilómetros entre Deinze e Wevelgem, marcada pelo abandono do português Nelson Oliveira devido a um problema mecânico, foi na última subida, em Kemmelberg, a 35 quilómetros da meta, que o suíço Fabian Cancellara (Trek) se aliou a Sagan e ao belga Sep Vanmarcke (Lotto-Jumbo) para escapar ao pelotão.

O trio depressa se juntou ao russo Viacheslav Kuznetsov (Katusha), que seguia isolado na frente. Atrás, o belga Van Avermaet (BMC), vencedor do Tirreno-Adriático desta temporada, juntava-se ao checo Zdenek Stybar (Etixx-QuickStep) e ao britânico Luke Rowe (Sky), mas cedo foram 'apanhados' pelo pelotão.

Depois da subida no tradicional empedrado, Cancellara e Sagan juntaram forças e garantiram uma vantagem de 50 segundos para o 'sprint' final. Aí, os ciclistas encenaram acelerações, até o russo Kuznetsov ser o primeiro a tentar embalar para a vitória. Vanmarcke ripostou, mas foi Sagan quem melhor geriu a distância para a meta, de forma a vencer a primeira corrida do ano.

Com o tempo de 5:55.16 horas, o campeão do mundo repetiu o feito de 2013, à frente de Vanmarcke e Kuznetsov, com Cancellara a falhar o pódio. O eslovaco tornou-se ainda o segundo ciclista a ganhar a Gent-Wevelgem, com a camisola 'arco-íris', depois do belga Rik Van Looy, em 1962.

"Estou muito contente. Ganhei, finalmente, com a camisola arco-íris. É a minha segunda vitória aqui e todo o grupo esteve a dar tudo para poder disputar a vitória. Trabalhei com o Fabian (Cancellara) desde o início e todos sabiam que eu seria o mais rápido se estivesse bem", disse Sagan após a corrida.

O pelotão chegou a 11 segundos encabeçado pelo francês Arnaud Démare (FDJ), vencedor da Milão-São Remo, e o colombiano Fernando Gaviria (Etixx-QuickStep) quinto e sexto classificados, respetivamente.

A prova ficou marcada por uma centena de desistências, entre as quais a do português Nelson Oliveira (Movistar), que se viu obrigado a abandonar com raios da roda da frente partidos. A sua próxima prova será a Volta a Flandres, a 03 de abril.

Antoine Demoitié teve o incidente mais grave, ao cair e sofrer, de seguida, um atropelamento por uma moto, quando a corrida desenrolava no norte de França, em Sainte-Marie-Cappel, sendo encaminhado para um hospital em Lille.

Exclusivos

Premium

Flamengo-Grémio

Jesus transporta sonho da Champions para a Libertadores

O treinador português sempre disse que tinha o sonho de um dia conquistar a Liga dos Campeões. Tem agora a oportunidade de fazer história levando o Flamengo à final da Taça Libertadores para se poder coroar campeão da América do Sul. O Rio de Janeiro está em ebulição e uma vitória sobre o Grémio irá colocar o Mister no patamar de herói.