20 anos de Academia. Joias de Alcochete renderam 323 milhões de euros ao Sporting

Os leões assinalaram o aniversário desde a abertura de portas da agora denominada Academia Cristiano Ronaldo. Um projeto que o presidente Varandas definiu como "visionário" e que será alargado para continuar a fabricar talentos.

O Sporting encaixou qualquer coisa como 323 milhões de euros nas transferências de jogadores formados nos 20 anos de existência da Academia, um aniversário que foi ontem celebrado com uma cerimónia naquele que é o coração dos leões, que agora tem o nome do seu produto mais perfeito: Cristiano Ronaldo.

Tudo começou a 21 de junho de 2002, dia em que foram abertas as portas, e um ano depois começaram a cair os primeiros milhões, com as transferências de duas grandes joias de Alcochete, com Ronaldo a rumar ao Manchester United por 19 milhões de euros, um recorde na altura, e também Ricardo Quaresma para o Barcelona por 6,35 milhões, num negócio que envolveu a troca com o brasileiro Fábio Rochemback. É certo que estes dois futebolistas usufruíram da fábrica leonina apenas por alguns meses, mas ficam ligados ao primeiro retorno financeiro da Academia.

Eram os primeiros passos do quartel-general do Sporting, que passou por alguns momentos de crise, é certo, mas que de onde saíram mais-valias financeiras assinaláveis para o Sporting, com destaque para o recorde estabelecido por Nuno Mendes, que foi vendido ao PSG por um total de 45 milhões de euros (sete pelo empréstimo e 38 pela transferência confirmada já este ano). O defesa-esquerdo superou a transferência de João Mário que desde 2016 liderava o ranking, altura em que se mudou para o Inter Milão por 40 milhões de euros. Nani (25,5), Gelson Martins (22) e Adrien Silva (20,5) fecham o top 5 das maiores vendas de jogadores formados em Alcochete (ver caixa).

Projeto visionário expande-se

"Um projeto visionário." Foi desta forma que Frederico Varandas, presidente do Sporting, definiu a Academia, lembrando que foi a primeira em Portugal, numa cerimónia de aniversário que contou com a presença de Fernando Gomes, presidente da Federação Portuguesa de Futebol, que considerou a infraestrutura leonina como "precursora de uma nova maneira de trabalhar o futebol" no nosso país, que se tornou "num país formador".

De acordo com o Sporting, no total 65 jogadores formados na Academia jogaram pela equipa principal durante estes 20 anos. Muitos deles foram descobertos por Aurélio Pereira, histórico olheiro do clube que elogiou a estratégia da administração da SAD leonina para a formação, complementada pelo treinador Rúben Amorim: "É um rapaz que se interessa pela formação, muito acessível. Sai do treino dos seniores e vai logo para os campos para ver o que se passa. Está sempre atento." Num recado para os candidatos a estrela, Aurélio Pereira assumiu que "quem está no Sporting tem sempre talento", mas há algo que faz a diferença: "Há os que conseguem ultrapassar as dificuldades e os que não. Faz toda a diferença a personalidade do atleta e não se deixar envolver por empresários com 10 ou 11 anos."

O Sporting revelou entretanto o plano de expansão da sua Academia, que contempla uma nova área para o futebol profissional, a construção de um mini-estádio, além de mais seis novos campos relvados. O prazo para a conclusão das obras ainda não está definido.

carlos.nogueira@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG