Opinião

A guerra civil americana

A 14 de junho de 1956, num discurso perante estudantes da Universidade de Harvard, John Fitzgerald Kennedy, então senador do Estado do Massachusetts, explicava uma das características fundamentais que tinham abençoado a génese dos EUA: "Os grandes políticos da nossa nação contavam-se também entre os seus primeiros grandes escritores e académicos. Os trabalhos de Jefferson, Madison, Hamilton, Franklin, Paine e John Adams - para nomear apenas alguns - influenciaram tanto a literatura como a geografia mundial." Com efeito, o triunvirato do segundo ao quarto presidente (John Adams, Thomas Jefferson e James Madison) ilustra bem a verdade da tese de Kennedy. Muito mais tarde, no século XX, a Casa Branca foi habitada por um ex-reitor da Universidade de Princeton, Woodrow Wilson (1856-1924), que foi também um político que revolucionou o sistema internacional ao lançar a Sociedade das Nações, que é a mãe das Nações Unidas. Não só política e conhecimento estiveram lado a lado na tradição constitucional dos líderes dos EUA, como a prioridade entre essas duas vertentes está bastante clara nas palavras escolhidas pelo terceiro presidente para o seu obelisco tumular. Jefferson esqueceu todos os seus cargos políticos para deixar apenas três registos: a autoria da Declaração de Independência dos EUA e do Estatuto para a Liberdade Religiosa da Virgínia, e o ter sido "pai da Universidade da Virgínia". O significado é claro: o saber científico e a sabedoria ética tinham o primado sobre a política em estado puro, devendo esta estar ao serviço de uma sociedade capaz de beneficiar dos frutos do conhecimento e da aplicação dos princípios éticos na procura do bem comum.

Viriato Soromenho-Marques

Eu faria o mesmo?

Na última semana gerou-se, e bem, uma onda de solidariedade com Miguel Duarte, o jovem português acusado pelo governo italiano de "ajuda à imigração ilegal". Miguel Duarte e outros jovens integraram as ações de salvamento no Mediterrâneo da ONG alemã Jugend Rettet e, desde 2017, enfrentam a possibilidade de uma condenação que pode ir até 20 anos de prisão. Várias pessoas, organizações, partidos e o próprio Ministério dos Negócios Estrangeiros acompanham agora Miguel Duarte.

Marisa Matias

Erdogan sabe-o bem: força da Turquia é que o mais forte nem sempre ganha

Está a par da derrota do partido de Erdogan em Istambul? Depois de as eleições terem sido repetidas por exigência do partido do presidente, por irregularidades em março? Pois a vitória do candidato da oposição, pela segunda vez e agora por uma margem que não deixa dúvidas, é a prova de que a sociedade civil turca é forte, de que o jogo democrático continua a ser feito e que nem sempre o mais forte impõe a sua vontade ao eleitorado.

Leonídio Paulo Ferreira

A fadiga informativa não é só um fenómeno de verão

Caros leitores que estão a ler estas linhas: quantas vezes já vos apeteceu largar este jornal, desligar a versão online, sair das redes sociais, pôr o telefone em off? Fugir para um lugar sem notícias? Nenhum de vós está sozinho nessa resposta, positiva obviamente, que terá dado. Segundo os dados - preocupantes - do Relatório de Jornalismo Digital feito pelo Instituto Reuters na Universidade de Oxford, 31% dos portugueses já deram por eles a evitar notícias. Na Grécia estes números sobem para 54%. Nos EUA são 41%.

Catarina Carvalho

O bronze virou ouro nas mãos de Telma

Esta era a segunda vez que ela saía das mãos de Telma Monteiro. A outra tinha sido durante a noite, quando a judoca, finalmente, cedeu ao cansaço depois do turbilhão de emoções que se seguiu à subida ao pódio olímpico do Rio 2016 e foi dormir. Agora, andava de mão em mão, sempre com Telma por perto a testemunhar o regozijo de quem tocava numa medalha olímpica pela primeira vez. Também eu o fiz. Senti o peso, apreciei os pormenores gráficos e devolvi-a intacta à feliz proprietária.

Pedro Sequeira

Um português, um marroquino e um inglês de férias no Brasil

Todos temos um amigo bronzeado, mesmo no inverno. Mantém aquela cor acastanhada, sem apanhar sol, sem sair de casa, até nos dias de chuva. Acha sempre que está a ficar branco, a perder tudo o que ganhou no verão ou numa esplanada no fim de semana. Na verdade vai mesmo ficando mais claro, mas, quando aparecem uns raios de sol, o André rapidamente recupera o seu lado mais marroquino, só de ir à rua deitar o lixo ou ao café. É suficiente. Também é raro pôr protetor solar, "não preciso". Escaldão? "Nem me lembro do último."

Nuno Mota Gomes

Ver Tudo

Tablets com tinta inteligente para traduzir websites em braille

Kent Cullers é um astrofísico norte-americano que sempre sonhou trabalhar na NASA, e não desistiu até conseguir. Durante vários anos foi um dos responsáveis pelo famoso programa SETI, cujo propósito é encontrar sinais de inteligência extraterrestre no espaço. A sua história, embora pouco comum, torna-se extraordinária graças a um simples detalhe: Cullers é invisual. Na verdade, talvez seja o primeiro astrónomo invisual dos Estados Unidos. Foi inclusive nessa peculiaridade que Robert Zemeckis se inspirou para criar uma das personagens do filme Contacto.A história de Cullers – tal como a de outros invisuais famosos, como Ray Charles ou Jorge Luis Borges – demonstra que, com determinação e uma vocação verdadeira, os invisuais podem desempenhar praticamente qualquer atividade profissional. Com determinação e com a ajuda das ferramentas adequadas, claro. Ferramentas como a que Kristina Tsvetanova criou.As dificuldades que um amigo invisual sentiu para se inscrever num curso online, que para a maioria das pessoas é um processo simples, incentivaram a engenheira búlgara a procurar uma solução que permitisse aos invisuais superarem a barreira digital. “Só 1% da informação total está disponível em braille. Essa é a única possibilidade que as crianças e os adultos têm de se alfabetizarem, de aprenderem a ler e a escrever”, explica Tsvetanova. “Isso é crucial para depois poderem arranjar emprego”.Ao falarmos de informação na atualidade, falamos do mundo digital e da Internet. Um mundo que é menos acessível para 285 milhões de pessoas que sofrem de algum tipo de deficiência visual. Foi dessa injustiça – que emocionou Tsvetanova – e da vontade de ajudar que nasceu o Blitab, o primeiro tablet do mercado capaz de, em tempo real, converter em braille textos e gráficos provenientes de páginas na internet ou de equipamentos de armazenamento digital, como drives USB. O sistema criado por Tsvetanova e pelos seus parceiros consiste num líquido inteligente que forma pequenas bolhas, para que se possa ler.O Blitab permitirá aos invisuais estudarem, informarem-se, jogarem e, sobretudo, sentirem-se integrados numa sociedade em que ninguém deve ser excluído. Empresas, organizações sem fins lucrativos, governos e universidade de todo o mundo já manifestaram interesse na sua ideia, o que augura uma projeção mais interessante. Tsevetanova, eleita um dos 35 inovadores com menos de 35 anos pelo MIT, considera que os equipamentos que recorrem ao áudio não são concorrentes do Blitab porque “o braille nunca desaparecerá, tal como a palavra escrita”. Uma ideia bonita, que nos enche de esperança.Entrevista e edição: Noelia Núñez | Douglas BelisarioTexto: José L. Álvarez Cedena

A invenção de uma menina de 12 anos que pode salvar milhares de vidas

"Se tens uma ideia, não desistas. Se falhares, tenta novamente".Parece uma frase retirada de uma caneca da Mr. Wonderful ou de um Tweet para agradar a um grupo de empreendedores. Mas, se foram pronunciadas por alguém como Gitanjali Rao, convém que prestemos atenção, porque a determinação e o talento desta menina de 12 anos permitiram-lhe ser nomeada melhor jovem cientista dos Estados Unidos, no ano passado, e, mais importante do que isso, levaram-na a projetar um dispositivo que pode ajudar a salvar várias vidas, no futuro.Gitanjali teve a ideia de projetar a Tethys, um detetor de chumbo que lhe garantiu o reconhecimento, quando viu, nas notícias, o que tinha acontecido em Flint, no Michigan.Esta cidade com cerca de 100 mil habitantes ficou famosa nos Estados Unidos quando se descobriu que, devido a alterações no abastecimento, durante alguns anos os habitantes tinham consumido água contaminada com chumbo. Mais escandaloso foi o facto de as autoridades saberem o que se passava e não o terem denunciado, pondo em perigo as vidas de milhares de pessoas. Quando Gitanjali soube, através da televisão, pensou em “todos os meninos da minha idade que se expunham diariamente ao veneno, só por utilizarem um recurso como a água. O meu primeiro instinto foi perguntar-me como era possível, se toda a gente deveria ter direito a água potável."A sua resposta não poderia ter sido mais clara: projetou a Tethys (assim chamada, em homenagem à deusa grega da água doce e dos rios), um aparelho portátil que utiliza nanotubos de carbono para medir o chumbo. O detetor incorpora um sensor ligado através de bluetooth a uma aplicação móvel que faz uma análise precisa e quase imediata da água.Gitanjali reconhece que a sua paixão pela ciência foi herdada da sua família e sente-se grata por isso.Os seus planos para o futuro são muito claros: gostaria de continuar a ajudar a resolver os problemas das pessoas através da ciência e da tecnologia e sabe que, para isso, tem de pôr em prática seguindo um dos conselhos que dá sempre a toda a gente: "Faças o que fizeres, diverte-te."Entrevista e edição:  Zuberoa Marcos, Pedro García Campos, Cristina LópezTexto: José L. Álvarez Cedena

Insider

A sua internet está lenta? Não é o único: há um problema global

Para muitos utilizadores, a internet parece um pouco menos rápida e funcional hoje. A razão? Problemas com serviços de cloud como a AWS (da Amazon) e Cloudflare. Ninguém sabe ao certo o que está a causar o problema, mas tanto o serviço de cloud Cloudflare quanto a Amazon Web Services (AWS) estão com problemas nos seus serviços nesta segunda-feira, o que leva a interferências, interrupções e lentidão em alguns dos maiores sites e serviços da internet a nível mundial. Para quem não conhece, estes dois serviços de cloud albergam grande parte dos sites e serviços que são usados online e [...]

Harry Potter: o jogo Wizards Unite já está disponível em Portugal

Na sexta-feira, a Niantic anunciava a chegada do título de realidade aumentada, ao estilo de Pokémon Go, aos Estados Unidos, Austrália, Nova Zelândia e Reino Unido. A expansão a outros mercados foi rápida e Portugal está na lista. No total, são 25 os países indicados neste processo de expansão do jogo, que procurou inspiração nas aventuras de Harry Potter. Na lista está também o Brasil, Suíça, Áustria ou Espanha, por exemplo. Depois de mais de um ano de expectativa, já é possível fazer o download do jogo, para Android e iOS, em Portugal. A fórmula tem muito em comum com [...]

WeTransfer partilhou ficheiros com utilizadores certos… e ainda com pessoas aleatórias

O serviço de partilha de ficheiros é conhecido por ser prático e possibilitar o envio de ficheiros de grandes dimensões. Para isso, basta inserir um email... e esperar. Mas e se os seus ficheiros fossem partilhados com pessoas que não conhece? É, certamente, o pesadelo de quem faz tudo para proteger a sua privacidade. O WeTransfer é um dos serviços de partilha de ficheiros mais conhecidos e utilizados em todo o globo. Para o usar, basta abrir o site, escolher o ficheiro ou pasta, inserir o email do destinatário e, só para ter a certeza do envio, o email do [...]

Conheça a carrinha elétrica onde se servem gelados e poupa-se o ambiente

A Nissan apresentou um novo protótipo que demonstra tanto a versatilidade das suas carroçarias da gama NV, como o potencial dos veículos que usam baterias recicladas. A variante da carrinha NV pensada para servir gelados é totalmente elétrica e não é movida apenas por propulsão elétrica, já que também usa energia limpa para manter o ambiente a bordo agradável e fresco. A carrinha foi desenvolvida em colaboração com uma empresa de lacticínios familiar, a Mackie"s of Scotland, que administra o seu negócio todo baseado em energia eólica e solar. O projeto serve para mostrar como todos os negócios podem ser [...]

DN Ócio

As tendências do luxo e das artes e ofícios vão ser debatidas em Gondomar

A segunda edição do Luxury Design & Craftsmanship Summit realiza-se esta semana, dias 26 e 27 de junho, no pavilhão multiusos de Gondomar. O evento, organizado pela empresa de marcas de luxo Covet House, tem o propósito de "abordar o papel do artesanato de excelência e o design no setor do luxo e debater novas tendências". Estão confirmadas as presenças dos designer francês Emmanuel Babled, do designer alemão Christian Haas, de Nicole Segundo, responsável da Fundação Michelangelo, Conceição Amaral, CEO da Fundação Espírito Santo Silva e Carlos Coelho, especialista em marketing, entre outros. Para além dos debates, durante os dois [...]

Para lá das portas fechadas do Palácio da Ajuda há um mundo por descobrir

Nas reservas da grande casa dos reis, há milhares de objetos, um mundo de histórias por contar e um património único que é cuidado todos os dias. E muito por fazer. Fomos conhecer o outro lado do Palácio Nacional da Ajuda. Reportagem de Marina Almeida Fotografias de Orlando Almeida/ Global Imagens Maria José Tavares começa a caminhar pelo soalho de madeira das reservas de mobiliário do Palácio Nacional da Ajuda. Ainda mal a porta se abriu e já estamos numa viagem no tempo. Não tarda, somos quase familiares de D. Maria Pia ou de D. Carlos, como as conservadoras de [...]

"Desligar é o maior luxo. Mesmo pessoas muito endinheiradas estão a querer voltar ao que é simples"

Há cinco anos, Gonçalo Pessoa e Patrícia Trigo abriram o Sublime Comporta, um hotel de charme com 14 quartos e uma imensidão de natureza à volta, que é hoje um resort de luxo, quase retiro, onde a sofisticação é simples, o luxo é descontraído e o conforto é natural. A história de um piloto com os pés na terra que não desiste de voar e de uma assistente de bordo que trocou os aviões pelos comandos do empreendimento que, graças ao seu trabalho e do marido, tem vindo a acumular distinções.

Viagens, praias, estilos: 45 sugestões para o verão

O verão chegou! A nova estação traz tempo mais quente (finalmente!) e dias longos. É altura de férias (escolha entre os cinco destinos) e de praia (sugerimos mais cinco, de norte a sul) e de frequentar terraços pela tarde (e noite dentro). Se não conseguir sair de Lisboa, deixamos também sugestões de Texto Filipe Gil Mas o verão também traz novas tendências de moda. Conheça algumas no feminino e no masculino e a acompanhar novas fragrâncias para o tempo mais quente. Nada como brindar o verão com vinho, rosé ou branco. Sugerimos 45 escolhas para os dias que restam até [...]