Atualidade

Opinião

António Perez Metelo

Uma cruzinha tão fácil e tão esquecida

Estamos a entrar no trimestre da entrega das declarações do IRS. Cerca de metade da população gera rendimento suficiente para ter de pagar efetivamente esse imposto e, com esse pagamento, tem a faculdade de indicar à Autoridade Tributária para que instituição do setor social ela deve encaminhar 5 em cada 1.000 euros que pagar. É a conhecida consignação de 0,5% do IRS, cujas verbas cada contribuinte tem o poder de encaminhar para uma das 4.034 instituições certificadas pelo Estado, como sendo de interesse público, que é como quem diz, dignas de receber este contributo monetário diretamente dos contribuintes em Portugal.

António Perez Metelo

Miguel Graça Moura

O pós-covid-19 tem de desembocar em algo completamente novo

1. Tendo presente o acumular diário de informação catastrófica sobre a expansão da pandemia provocada pelo coronavírus, e em particular a evolução exponencial das mortes e do confinamento forçado, "dizer que há males que vêm por bem" soa a provocação de mau gosto. No entanto, a verdade é que a extensão e a dimensão das mudanças em curso constituem uma oportunidade única, na história recente da humanidade, para repensar tudo - a vida, a política, a economia, a salvação da vida humana no planeta Terra.

Miguel Graça Moura

Graça Henriques

Quando ir ao banco até parece uma mudança de continente

O coronavírus apanhou-me desprevenida com a impressora avariada, quase elevada ao estatuto de mono. Do banco diziam-me que tinha mesmo de assinar o documento, que se não tinha como imprimi-lo e digitalizá-lo era preciso deslocar-me às instalações. Ainda fingi alguma relutância, mas depressa vi ali uma oportunidade para sair do bairro e ver como "mexe" a cidade... Afinal, nos tempos que correm, afastar-me dois quilómetros de casa tem praticamente o sabor de uma viagem intercontinental!

Graça Henriques

Filipe Gil

Lembranças de conservas

Gosto de recordar pessoas pelas suas manias. Aquelas únicas e originais de que nos lembramos quando estamos longe ou temos saudades. Seja algo físico como uma maneira peculiar de mexer no cabelo para adormecer ou a forma de atender e mexer no telefone ou até mesmo o vestir uma certa peça. Lembro-me de uma certa forma de o meu avô pentear os seus já poucos cabelos num espelho oval com a figura de um jogador dos anos 1940 do Sporting. Ou da forma como o meu pai me dizia para ter cuidado sempre que ia fazer surf: "Não te afastes muito..."

Filipe Gil

Ricardo Santos

Quatro Estrelas Michelin

Foram cinco dias a caminhar entre os 1500 e os 3800 metros de altitude, para cima e para baixo pelos Andes peruanos. À custa de um mosquito e da infeção que causou, os pés já estavam a passar para o azul, depois da vermelhidão e das comichões iniciais. Só doíam ao fim de cada dia do trekking, quando o corpo percebia que era tempo de descansar. A última noite antes de chegar a Aguas Calientes - que hoje se chama Machu Picchu Pueblo - foi passada num baldio de uma pequena aldeia que não sei mesmo se teria nome. Num rés-do-chão com as portas fechadas, Freddy, o guia, montou uma discoteca. A bola de espelhos rodava, a música saía do computador e, na parede, posters de duas impossibilidades por aquelas paragens: Tina Turner e uma praia paradisíaca.

Ricardo Santos

Leonídio Paulo Ferreira

Paris, Texas vale bem uma reportagem

Tinha 13 anos quando se estreou Paris, Texas e claro que me disse mais o cartaz com Nastassja Kinski do que a assinatura de Wim Wenders como realizador. E foi só por ter visto o filme uns anos depois que não repeti, como cheguei a ouvir, que falava de uma viagem do Texas até Paris. Sim, há gente a viajar nele, mas sem sair do Texas, ainda que quando uma das personagens fala de Paris a outra pense logo em França. Estamos todos desculpados.

Leonídio Paulo Ferreira

João Céu e Silva

O estigma sobre o suspeito não infetado

O primeiro sintoma de quem é suspeito de estar infetado com o coronavírus é o estigma social. E se a tosse não surge nem a temperatura aumenta, ainda custa mais ao alegado suspeito esse sentimento por parte daqueles com quem convive. Senti isso na pele desde domingo, quando se soube que o escritor Luis Sepúlveda e mulher estavam hospitalizados e que tinham todos os sintomas desta praga, através das mensagens que começavam assim: "Estás de quarentena, não é?" A pergunta não era "estás bem?" ou "sentes alguma coisa?"; não, a palavra-chave era "quarentena". Ou seja, desaparece da nossa vista.

João Céu e Silva

Insider

Venda de impressoras cresceu 231% devido a pandemia

Venda de impressoras cresceu 231% devido a pandemia

Com a declaração do Estado de Emergência em Portugal e com mais portugueses confinados a casa, a venda de produtos tecnológicos caiu 18% na semana de 16 a 23 de março, revela a análise da GfK Portugal. A comparação é estabelecida em relação à mesma semana do ano passado. Ainda assim, há pelo menos uma classe de produtos que cresceu significativamente: a categoria dos produtos ligados ao escritório (Home Office). A GfK indica que a área de impressoras multifuncionais cresceu 231% na semana passada. Também a venda de portáteis sofreu um considerável aumento (62%). Com mais trabalhadores a passar do escritório para casa, recorrendo ao [...]

Isolamento e teletrabalho abrem porta a intrusões e malware. Portugal tem 8400 ligações vulneráveis

Isolamento e teletrabalho abrem porta a intrusões e malware. Portugal tem 8400 ligações vulneráveis

Com o mundo a recorrer à Internet para a "nova normalidade", há quem esteja a aproveitar a dependência de ferramentas digitais para mascarar malware, phising e testar os limites da segurança informática. Empresas de cibersegurança alertam para necessidade de reforçar cuidados e pedem atenção redobrada nesta altura. Com as autoridades a pedir isolamento para conter a propagação do vírus, o mundo virou-se para o trabalho remoto e para as plataformas digitais para continuar a conviver. Já a avidez de informação e a necessidade de manter a ligação a familiares e amigos faz subir o tráfego de redes - os três [...]

Do CEiiA vai nascer uma produção de 10 mil ventiladores para enfrentar a pandemia

Do CEiiA vai nascer uma produção de 10 mil ventiladores para enfrentar a pandemia

Durante uma visita ao CEiiA, António Costa indicou quais os planos de produção de ventiladores a partir do centro de investigação. Até ao final de abril, CEiiA vai produzir os cem primeiros ventiladores. Esta semana, durante o debate quinzenal, António Costa já tinha indicado que o CEiiA (Centro de Excelência para a Inovação da Indústria Automóvel) estava a transformar-se para produzir um protótipo de ventilador, que mais tarde servisse para alavancar a produção deste tipo de equipamento médico em Portugal. Dias depois, Costa rumou ao Norte do país para uma visita ao centro, localizado em Matosinhos, e ainda uma visita [...]

Huawei P40 Pro quer ser rei do zoom na fotografia e vídeo móvel

Huawei P40 Pro quer ser rei do zoom na fotografia e vídeo móvel

Mesmo (ainda) sem os serviços da Google, a Huawei apresentou esta tarde a série de smartphones topos de gama P40 com 5G e números inéditos nas câmaras, da fotografia ao vídeo. Em tempos de pandemia devido ao vírus SARS-CoV-2 (Covid-19), a Huawei viu-se obrigada a fazer a sua apresentação da série de smartphones topo de gama, P40, num palco sem público e totalmente em modo online - em streaming. Richard Yu, o CEO da divisão de produtos de consumo da Huawei, entrou em palco com muitas novidades, embora nenhuma delas fosse o regresso dos serviços da Google - de forma oficial - aos smartphones da marca [...]

V Digital

O padre Paolo Longo, da Igreja de San Pietro e San Benedetto di Polla, na região de Salerno, em Itália

Padre italiano transmite missa com filtros de rosto e torna-se viral

O padre Paolo Longo da Igreja de San Pietro e San Benedetto di Polla, na região de Salerno (em Itália) recorreu ao Facebook Live para dizer uma missa. Mas ao iniciar o direto para os fiéis ativou acidentalmente o efeito dos filtros de rosto. A transmissão durou 50 minutos, durante os quais o pároco surge com vários disfarces. O vídeo já se tornou viral nas redes sociais e o padre comentou o incidente, escrevendo que "rir também é bom".

O ventilador criado pelos engenheiros da SEAT foi desenvolvido a partir de um motor de limpa para-brisas

SEAT produz ventiladores com motores de limpa para-brisas

Engenheiros da SEAT, em parceria com outras duas empresas desenvolveram um ventilador médico que poderá fazer a diferença no apoio a doentes de Covid-19 com problemas respiratórios mais graves. O protótipo tem a particularidade de recorrer a peças de automóvel, nomeadamente um motor usado nos limpa para-brisas da marca. Desenvolvido nas instalações da marca do Grupo VW, em Martorell, com a supervisão do diretor do gabinete de inovação de um dos mais importantes hospitais de Espanha, o equipamento médico será produzido por impressoras 3D industriais, o que torna possível o fabrico de 50 a 100 unidades por dia, já a partir da próxima semana.