Viola campaniça 'cruza-se' com voz moçambicana e música eletrónica em Évora

O festival Artes à Rua, em Évora, vai contar com Lenna Bahule, António Bexiga e a música eletrónica de Dercio Gomate.

O som característico da viola campaniça 'cruza-se' com a voz de sotaque moçambicano e a música eletrónica no espetáculo de abertura da edição deste ano do festival Artes à Rua, em Évora, marcado para esta quinta-feira.

Intitulado "Revoada", o espetáculo, em estreia, sobe ao palco instalado na Praça do Sertório, às 21:30, e é protagonizado pelo músico alentejano António Bexiga (viola campaniça) e pelos moçambicanos Lenna Bahule (voz) e Dercio Gomate (eletrónica).

O espetáculo assenta na "ideia das migrações" e na necessidade de as pessoas se movimentarem "de um sítio para o outro com a expectativa de ficar melhor", disse o músico António Bexiga, em declarações à Lusa.

Segundo o artista alentejano, os três prepararam para esta atuação nove faixas, todas originais, as quais foram criadas agora durante uma residência artística em Évora e, anteriormente, em encontros em Moçambique e 'online'.

Também em declarações à Lusa, a cantora moçambicana Lenna Bahule mostrou-se satisfeita com o repertório criado para o espetáculo, notando que os três músicos trabalharam "com textura sonora e trilha sonora também".

"Acho que temos essa veia criativa de conseguir compor músicas que falam sobre paisagem, músicas que não são literais e que não são no formato de canção, mas são muito no formato dessa intenção muito mais do que a coisa literal", sublinhou.

Já a viola campaniça, reconheceu Lenna Bahule, funcionou como "o grande guia" para os dois artistas moçambicanos, pois, dos três, o António Bexiga é quem "tem mais experiência na composição e na criação".

"A viola campaniça foi guia para nós. A partir daí, até por questões práticas de tom, fui acrescentando a minha camada vocal e, depois, veio o Dercio para dar esse corpo" às faixas musicais, acrescentou.

O músico moçambicano Dercio Gomate afirmou à Lusa que "a viola campaniça acompanha muito bem os ritmos vocais que a Lenna compõe" e que o espetáculo junta ainda "esses dois mundos à eletrónica para tentar fazer o som crescer mais".

"Revoada", uma das estreias, é um dos 52 espetáculos da edição deste ano do festival Artes à Rua, que se prolonga até 14 de agosto, promovido pela Câmara de Évora.

De acordo com o diretor artístico do evento, Luís Garcia, esta 4.ª edição do certame conta com 198 artistas, vindos de Portugal e também do Brasil, Cabo Verde, Chile, Cuba, Espanha (Galiza e Catalunha), Itália, Japão, Marrocos, Moçambique e Nigéria.

O programa, que vai animar o espaço público de Évora, como ruas e praças, contempla vários espetáculos: da música à dança do teatro, da performance ao circo contemporâneo e artes visuais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG