Uma história de amor em tempo de revolução e de guerra

"Alva", de Miguel Urbano Rodrigues, é a sugestão de leitura de verão de João Oliveira, líder parlamentar do PCP.

O romance é "marcante", diz o deputado comunista. A história é de amor "entre a Ásia e a América Latina, entre duas personagens com contextos e perspetivas de vida muito diferentes que constroem a sua relação de amor em cenários de revolução social e de guerra, com períodos de longa separação em que idealizam o seu amor, com os excessos que lhe são próprios, e antecipam a intensidade do reencontro".

João Oliveira afirma que, ao longo do caminho, a partir do posicionamento das personagens ou a propósito da história mais distante ou mais recente dos povos e dos países em que a sua relação se vai desenvolvendo, "surgem elementos sociais e políticos que nos colocam a todos (personagens e leitores) a refletir sobre o mundo que temos à nossa volta".

A história escrita por Miguel Urbano Rodrigues mostra, garante o líder do grupo parlamentar do PCP, que nas "relações humanas importa mais a viagem do que o seu desfecho". "A escrita de Miguel Urbano Rodrigues prende-nos ao desenrolar da história e torna fácil revermo-nos nas alegrias, desejos e angústias das personagens, não apenas quanto à sua própria relação mas também quanto ao mundo que as rodeia".

Miguel Urbano Rodrigues, alentejano, nascido em 1925, foi durante grande parte da sua vida jornalista. Foi redator do Diário de Notícias de 1949 a 1956, chefe de redação do Diário Ilustrado, editorialista principal d'O Estado de São Paulo, no Brasil, e chefe de redação do jornal oficial do PCP, Avante! Irmão do escritor Urbano Tavares Rodrigues, morreu o ano passado, aos 91 anos e deixou mais de uma dezenas de livros publicados em Portugal e no Brasil.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG