Spotify retira o catálogo de Neil Young da plataforma depois de conflito com o músico

A decisão surge depois de o músico canadiano ter entrado em conflito com a empresa sueca, pedindo que a plataforma retirasse do ar um podcast conhecido por alimentar desinformação sobre a covid-19. "Espero sinceramente que outros artistas façam o mesmo", apelou.

A plataforma de streaming de música, Spotify, confirma: a música de Neil Young vai mesmo sair dos seus servidores. A decisão surge na sequência de um ultimato do cantor canadiano, que exigia que o Spotify retirasse do ar um podcast de Joe Rogan, conhecido por alimentar correntes de desinformação e propaganda antivacinas.

Na segunda-feira, Neil Young publicou uma carta aberta no seu site, entretanto retirada, onde pedia à sua editora que exigisse uma reação do Spotify perante a desinformação alimentada pelo podcast de Rogan. De acordo com a revista Rolling Stone, que viu a carta, o músico canadiano pedia que a sua música fosse retirada do serviço, dizendo que teria de escolher "entre Young ou Rogan. Não ambos."

Na quarta-feira, Neil Young voltou a utilizar o site para vincar a sua posição. "O Spotify tornou-se um sítio muito prejudicial graças à desinformação e das mentiras acerca da covid-19", considera o músico.

Segundo a Reuters, o Spotify confirmou que já tinha iniciado o processo de remoção da música do canadiano, afirmando que a empresa tem "uma política rigorosa em relação aos conteúdos e já foram removidos cerca de 20 mil episódios relacionados com a covid-19", lamentando a decisão do músico.

O canadiano agradeceu a compreensão e o apoio da sua editora, em comunicado, e rematou que as "mentiras" têm servido de fonte de lucro ao Spotify.

Apesar de, segundo o próprio, esta plataforma representar 60% do consumo da sua música, a decisão manteve-se e o repertório Neil Young já não está disponível na plataforma, tendo começado a ser retirado durante a madrugada.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG