Salas UCI também fecham depois de fim-de-semana sem espetadores

Depois do anúncio dos cinemas NOS, os UCI encerram as salas e a qualquer momento os portugueses já não vão poder ir para nenhum outro cinema. Depois de um fim de semana com salas vazias, as estreias de novos filmes estão a ser canceladas.

A crise do Covid19 vai fechar todas as salas de cinema em Portugal, apesar de por hora ainda estarem abertos os Cinema City e a cadeia Cineplace, depois da NOS, o maior exibidor, ter fechado todas as salas. O DN sabe que esta segunda-feira os UCI encerram as salas. Até ao momento não há data de regresso dos cinemas.

Tudo isto após um fim-de-semana onde foram muito poucos a ir aos cinemas, mesmo tendo em conta os 2537 bilhetes vendidos de Bloodshot, com Vin Diesel, obra que atrai um público de adolescentes, enquanto que a grande estreia da semana, O Caminho de Volta, de Gavin O'Connor nem um milhar de espetadores conseguiu atrair. As grandes vítimas desta debandada foram Liberté, de Albert Serra, apenas 120 "libertinos" em sete sessões; Os Melhores Anos da Nossa Vida, de Claude Lelouche (cerca de 100 bilhetes) e o português Inner Ghosts, de Paulo Carneiro, com 86 corajosos espetadores. Enfim, migalhas do pior fim-de-semana no "box-office" nacional.

Para esta semana, já não vamos ter a estreia de dois magníficos filmes: A Verdade, de Koreeda, com Binoche e Deneuve e O Espaço Entre Nós, de Alice Winecour, uma das boas surpresas do Festival Toronto.

As baixas deste "shutdown" cinematográfico a curto prazo são também obras como Longa Noite, de Eloy Enciso, filme que estrearia ao abrigo de um programa de estreias do DocLisboa; O Crime de Georgetown, de e com Chistoph Waltz, Os Conselhos da Noite, viagem à noite de Braga de José Oliveira; The Burnt Orange Heresy, com Donald Sutherland, Elizabeth Debicki e Mick Jagger; bem como o surpreendente Quarto 212, de Christophe Honoré, com a premiada Chiara Mastroianni.

A nível de "blockbusters" tudo em águas de bacalhau: de Mulan, da Disney a Viúva Negra (este ainda sem anúncio oficial da Disney), com Scarlett Johansson, tudo fica à espera de melhores dias.

A Variety, publicação que é vista como a bíblia da indústria americana de entretenimento, hoje já publicou que pode ser trágica toda esta situação de adiamentos e de multiplexes encerrados, mesmo quando alguns executivos acreditam ainda numa retoma financeira quando as medidas de isolamento terminarem. Os cinemas de Los Angeles e de Nova Iorque foram encerrados por ordem governamental.

O cinema segue por agora nas plataformas como a Filmin, canais TVCINE, Netflix, HBO, videoclubes virtuais e a qualquer momento serão estreados por lá filmes que tinham ordem para chegarem nestes tempos aos cinemas. O negócio não vai poder parar e o público exige distração e conteúdo novo...

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG