Regresso ao Futuro: hoje há 24 concertos simultâneos em todo o país

António Zambujo, Clã, Ana Moura, Herman José e The Gift são alguns dos 24 artistas que participam no festival Regresso ao Futuro, este sábado.

As salas de espetáculos estão abertas desde 1 de junho e é verdade que já houve alguns eventos mas talvez só a partir deste fim de semana se possa falar de um verdadeiro desconfinamento da música em Portugal. O festival "Regresso ao Futuro" acontece no sábado, com 24 concertos de 24 artistas (são muitos mais músicos do que 24 porque alguns deles são bandas), em 24 salas distribuídas por 22 cidades de norte a sul do país. Carminho, Clã, Camané, Tiago Bentencourt e Salvador Sobral são alguns dos músicos no cartaz do "Regresso ao Futuro".

Os concertos começam todos à mesma hora, 21.30, e os bilhetes também custam o mesmo em todas as salas, 10 euros. E é claro que serão cumpridas todas as regras sanitárias de prevenção da covid-19, incluindo a redução da lotação das salas de espetáculo e o uso obrigatório de máscara.

Com organização da Sons em Trânsito em parceria com uma série de teatros municipais, além de ser um pontapé de saída para a nova época de concertos de verão, este festival é também um evento solidário: as receitas de bilheteira serão entregues ao Fundo de Solidariedade para a Cultura, criado pela Audiogest (associação que representa produtores musicais) e GDA (Gestão dos Direitos dos Artistas), destinado a todos os profissionais dos setores das artes. O objetivo deste fundo é apoiar financeiramente "profissionais do setor cultural que se encontram a braços com uma crise sem precedentes, tantos deles arredados dos apoios públicos, precisamente fruto da precariedade estrutural do setor", explica-se no comunicado da organização.

O público é convidado a trazer alimentos não perecíveis, que serão recolhidos e distribuídos pela União Audiovisual junto dos profissionais dos setores das artes que se encontram em situação de maior vulnerabilidade alimentar.

Clã em Almada

Os portuenses Clã lançaram o seu último disco em plena pandemia. Véspera era um disco aguardado pelos fãs há já seis anos e seguramente que não os desiludiu: com letras de Capicua, Sérgio Godinho, Samuel Úria, Regina Guimarães e outros. Este sábado, os Clã atuam no Teatro Joaquim Benite, em Almada - será o seu primeiro concerto após a quarentena mas não o primeiro de Manuela Azevedo que nos passados dias 1 e 2 de junho esteve com o Deixem o Pimba em Paz no Campo Pequeno, em Lisboa.

Vai ser, segundo a cantora, um concerto "minimal e intimista", que assinala o reencontro dos Clã com o seu público antes da digressão de Véspera que irá arrancar em julho.

Samuel Úria no São Jorge

Samuel Úria apresenta-se no Cinema São Jorge, em Lisboa. Não será a sua primeira atuação ao vivo após a quarentena, uma vez que também ele participou (como convidado) no espetáculo Deixem o Pimba em Paz, no Campo Pequeno, mas será o seu primeiro concerto. Em formato minimalista, apenas com o companheiro de banda Silas Ferreira nos teclados e programações, Samuel Úria tocará algumas das suas canções mais conhecidas e também algumas de Canções do Pós Guerra, o novo álbum cuja edição foi reagendada para depois do verão, devido à pandemia. O concerto contará ainda com a participação especial da cantautora Joana Espadinha, com quem tem colaborado recentemente.

Samuel Úria já anunciou as novas datas de apresentação do disco: a 6 e 7 de outubro, no Teatro Tivoli BBVA (Lisboa) e na Casa da Música (Porto).

Rita Redshoes no São Luiz

O Teatro São Luiz, em Lisboa, só reinicia a sua atividade em setembro mas reabre este sábado, excecionalmente, para se associar ao festival Regresso ao futuro. A Sala Bernardo Sassetti (o antigo Jardim de Inverno) irá estar preparada para receber 64 espectadores sentados para assistirem ao concerto de Rita Redshoes.

A cantora manteve-se muito ativa durante a quarentena, tendo participado em vários eventos online e também lançando um novo tema, intitulado Contigo é Pra Perder, com a participação de Camané - a edição do novo disco, Lado Bom, foi adiada para setembro devido à pandemia de covid-19. Mas apesar de toda a atividade, este concerto no sábado marca, de facto, o regresso de Rita Redshoes a um palco.

Tiago Nacarato em Matosinhos

O músico Tiago Nacarato prevê retomar em breve a digressão "Além do Que Se Vê", onde vai revisitar os temas do álbum de estreia, Lugar Comum, editado no final de 2019. Antes da digressão, no entanto, o músico reencontra-se com o público este sábado no Cine-Teatro Constantino Nery, em Matosinhos.

Depois do verão, Tiago Nacarato irá atuar no Espaço Vita, em Braga, a 25 de setembro (concerto que estava agendado para abril e teve de ser adiado), e em novembro estará na Casa da Música, no Porto.

Lista completa de atuações (por ordem alfabética):

1. António Zambujo: Torres Novas - Teatro Virgínia
2. Agir: Leiria - Teatro José Lúcio da Silva
3. Ana Moura: Oliveira do Bairro - Quartel das Artes
4. Aurea: Figueira da Foz - Centro de Artes e Espectáculos
5. Bárbara Tinoco: Albergaria-a Velha - Cineteatro Alba
6. Carlão: Rio Maior - Cine-Teatro
7. Carolina Deslandes: Bragança - Teatro Municipal
8. Clã: Almada - Teatro Joaquim Benite
9. Camané: Cascais - Parque Palmela
10. D.A.M.A.: Setúbal - Fórum Municipal Luísa Todi
11. Diogo Piçarra: Faro - Teatro das Figuras
12. Fernando Daniel: Estarreja - Cine-Teatro de Estarreja
13. Gisela João: Fafe - Teatro Cinema de Fafe
14. Herman José: Ílhavo - Casa da Cultura
15. Kátia Guerreiro: Lisboa - Cineteatro Capitólio
16. Miguel Araújo: Caminha, Teatro de Valadares
17. Pedro Abrunhosa: Ovar - Centro de Arte de Ovar
18. Rita Redshoes: Lisboa - São Luiz Teatro Municipal
19. Salvador Sobral: Santarém - Teatro Sá da Bandeira
20. Samuel Úria: Lisboa - Cinema São Jorge
21. The Black Mamba: Aveiro - Teatro Aveirense
22. The Gift: Loulé - Cineteatro Louletano
23. Tiago Bettencourt: Castelo Branco - Cine-Teatro Avenida
24. Tiago Nacarato: Matosinhos - Cine-Teatro Constantino Nery

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG