Exclusivo Queen Ifrica: "Eu não posso cantar para vocês de um sítio livre se não estiver mentalmente bem"

Antes do concerto no Festival Músicas do Mundo, a jamaicana Queen Ifrica, ou Ventrice Morgan de nome de batismo, falou com o DN sobre o próximo disco, amor próprio e violência sexual.

Porque é que escolheu o nome Queen Ifrica?
Isso veio da minha religião rastafari. Na comunidade rastafari as mulheres não são chamadas senhoras. As mulheres são chamadas de imperatrizes, rainhas e deusas. Sou a Queen Ifrica porque sou uma mulher rastafari, uma rainha rastafari e uma rainha negra. Ifrica é África com um "I". Isso vem do lado da minha mãe porque na minha família rastafari todos têm nomes que começam com "I".

Nas suas músicas fala muito sobre amor próprio, porquê essa mensagem nos dias de hoje?
Porque sem ti não há nada. Não interessa o que se passa na tua vida se não te colocares no centro da tua vida. É por isso que o amor próprio é tão importante, não é vaidade. É um local central e é preciso perceber que por exemplo a minha família não existe sem mim. Se não for boa para mim, eu não posso ser boa para ninguém. É sobre tomar atenção sobre quem eu sou como indivíduo e como uma pessoa. Investir nisso para uma melhor versão de mim mesma. Eu puxo muito por essa ideia porque a tentei para mim mesma .Vi como esse investimento e esse tipo de pensamento é uma coisa muito boa de se fazer. Arrancar os benefícios do que significa estar equilibrado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG