Quatro horas de um espectáculo sem história

A crónica de Miguel Ortega Cláudio da corrida de encerramento da Festa Taurina da Moita.

No toureio nem sempre dois e dois são quatro e foi isso que aconteceu na noite que encerrava a Feira Taurina da Moita em 2018. Para que o sucesso estivesse presente não bastou apresentar um cartel variado, tanto em estilo e nacionalidades de cavaleiros. Até uma alternativa houve... Um Concurso de Ganadarias, uma sentida e justa homenagem a Fernando Quintella e dois grupos de forcados consagrados.

No capítulo dos toiros houve de tudo, como na farmácia, desde o bonito Jorge Carvalho (Vencedor do prémio de apresentação), ao harmonioso Canas e Passanha, este fora de concurso, até ao mastodonte Silva, que viria a ser devolvido aos currais por aparentes dificuldades de andamento. Bravos, quanto a mim, não houve nenhum. O de Teixeira foi o mais encastado, vindo a mais e o Jorge Carvalho o mais voluntarioso e nobre este vencedor do prémio de bravura.

Verónica Cabaço, que tomou a alternativa, sofreu as consequências de ter abordado a lide com demasiada displicência, consentindo demasiados toques nas montadas, felizmente sem consequências. O toiro de Prudêncio, manso, adiantava-se nas viagens e recarregava com força depois do ferro, indicando assim que a lide devia ser em curto. Assim não a viu a novel cavaleira, que lhe deu distâncias em demasia, repetindo os terrenos errados com pouca noção de lide, pelo que lhe valeu vários momentos de aflição. Mas pronto, temos mais uma nova cavaleira de alternativa.

Por ter sido devolvido aos currais, o toiro que calhou em sorte a Ana Batista foi corrido turno e saiu para lidar o Teixeira, Gilberto Filipe. Foi esta uma lide solvente, entretida, com ritmo, na qual houve bons momentos de toureio. O público respondeu com palmas.

O nobre Jorge de Carvalho foi para Filipe Gonçalves. Andou bem nos compridos, para nos curtos desenvolver uma lide dividida em duas partes: a primeira, em que os ferros de frente e os cambio ajustados e um boa brega foram o prato principal; a segunda, mais popular, com um cavalo empinado e cravando os ferros em sortes de violino.

Um toiro Passanha, nobre e com classe, saiu de sobrero (suplente) a Ana Batista. A cavaleira desenvolveu uma lide larga, em que aproveitou as qualidades do toiro, deixando os seus ferros com classe e boa nota.

A Andrés Romero saiu o Canas que veio de mais a menos. O espanhol desenvolveu uma lide variada e ritmada, deixando os ferros um tanto ao quanto aliviados, mas em que os desenhos das sortes foram bonitos.

Fechou a larga noite, quatro horas de "espetáculo", António Prates, diante de um toiro Castro, nobre mas a menos. Prates não se encontrou de todo, deixando bons ferros intercalados com alguns toques desnecessários nas montadas.

No capítulo das pegas, Évora e Alcochete pegaram na noite em que se homenageava Fernando Quintella, forcado que tinha morrido em 2017 na arena da Daniel Nascimento.

Abriu praça António Torres Alves pelos alentejanos, numa grande pega de caras à primeira tentativa. José Passanha também à primeira, com o grupo e o forcado de cara a fazerem tudo bem feito. Fechou a noite pelos de Évora Ricardo Sousa, à quinta tentativa ao difícil Canas.

Pelos de Alcochete, João Guerreiro à primeira tentativa, Victor Marques à primeira, dobrando Pedro Gil que tinha ido três vezes à cara do Passanha. Fechou a noite Manuel Pinto, à primeira, numa grande pega de caras.

Dirigiu a corrida Manuel Gama, assessorado pelo veterinário Jorge Moreira da Silva.

Síntese da corrida:

Concurso de ganadarias: Prudêncio (Manso); Teixeira (Encastado); Jorge de Carvalho (Nobre); Passanha (Nobre); Canas Vigouroux (encastado, mas a menos); Castro (Nobre, mas a menos);

Cavaleiros: Verónica Cabaço (Volta); Gilberto Filipe (Volta); Filipe Gonçalves (Volta); Ana Batista (Volta); Andrés Romero (Volta); António Prates (Volta);

Forcados: Amadores de Évora: António Torres Alves (Volta); José Passanha (Volta); Ricardo Sousa (Palmas). Amadores de Alcochete: João Guerreiro (Volta); Victor Marques (Palmas); Manuel Pinto (Volta).

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG