PR vai assinar decreto de luto nacional e rejeita comentar ida para o Panteão

Marcelo Rebelo de Sousa irá participar nas cerimónias fúnebres da atriz Eunice Muñoz, que se realizam segunda e terça-feira. Luto nacional será na terça.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse este sábado que vai assinar o decreto de luto nacional pela morte de Eunice Muñoz e rejeitou opinar sobre uma possível transladação da atriz para o Panteão Nacional.

Em declarações aos jornalistas enquanto fazia compras no mercado das Velas, em São Jorge, nos Açores, Marcelo Rebelo de Sousa explicou que não foi tomar banho, como constava da agenda, porque esteve a tratar de "problemas" mais "urgentes".

"Não fui ao banho porque estive a tratar de problemas que eram um bocadinho mais urgentes do que o banho. Tenho de assinar logo no aeroporto o decreto do luto nacional da Eunice Muñoz para entrar em vigor já amanhã, embora só produza efeitos na terça-feira, dia do funeral", afirmou.

O chefe de Estado confirmou que vai às "cerimónias fúnebres todas" da atriz.

Sobre uma possível transladação do corpo para o Panteão Nacional, Marcelo Rebelo de Sousa disse não se querer "imiscuir numa decisão da Assembleia da República".

"Eu pessoalmente não acho nada. Era uma maneira de intervir na competência da Assembleia. Tenho de ter muito cuidado nisso", apontou.

O PR está a visitar São Jorge desde sexta-feira, ilha que está a atravessar uma crise sismovulcânica desde 19 de março.

As cerimónias fúnebres da atriz Eunice Muñoz decorrem na Basílica da Estrela, em Lisboa, na segunda e na terça-feira, seguindo depois o funeral para o Cemitério do Alto de S. João, onde o corpo será cremado.

O velório decorrerá entre as 17:00 e as 22:30 de segunda-feira e entre as 10:00 e as 15:00 de terça-feira.

Entre as 15:00 e 16:00 de terça-feira, será celebrada uma missa de corpo presente, na Basílica da Estrela, estando a cerimónia de cremação no cemitério prevista para as 17:00, precisou António Muñoz.

Eunice Muñoz morreu na sexta-feira no Hospital de Santa Cruz, em Lisboa, aos 93 anos.

Nascida na Amareleja, no distrito de Beja, em 1928, completou em novembro 80 anos de carreira.

Várias personalidades, da cultura à política, reagiram já à morte da atriz, incluindo o Governo, que, através do Ministério da Cultura, anunciou que vai decretar luto nacional no dia do funeral da atriz.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG