Pouco a pouco: Rock in Rio ganha forma

A menos de 30 dias do evento já é possível reconhecer: a Rock ​​​​​​​Your Street, o Palco Mundo, Palco Digital e a Game Square.

A contagem dos dias está a ficar cada vez mais pequena. A menos de um mês do primeiro dia do festival, as montagens no Parque da Bela Vista começaram a ganhar forma. As estruturas principais já estão oficialmente montadas. Cada dia há novas alterações feitas no recinto que se aproxima do Rock in Rio.

"Pode parecer que ainda falta muito para estar tudo pronto mas a parte mais difícil já está, que é parte dos ferros. Agora é tudo um quebra-cabeças e tudo vem rápido. A organização entra com a parte mais pesada e depois entram as várias empresas", explicou Roberta Medina, vice-presidente do Rock in Rio, num passeio com DN pelo recinto onde se irá realizar o festival. A parte do equipamento (luz, som, cozinhas, etc.) só vai avançar mais perto da data do festival, sendo a última fase de montagem.

A atração principal: o Palco Mundo

O Palco Mundo está a ficar cada vez mais reconhecível para os festivaleiros. A cenografia está terminada e a estrutura interna do palco está ainda a ser fechada. As duas torres com o equipamento de som já se encontram no meio do relvado. É um pormenor que garante a qualidade de som seja igual para quem está na fila da frente e quem mais atrás.
O slide que começa neste palco de termina na zona Chef's Garden está também terminado e este ano vai ser 5 metros maior.

"Estou ansiosa de ver isto tudo lotado. Vai haver tantos concertos onde as pessoas vão entrar na loucura. Os concertos mais incríveis são os que fazem as pessoas vibrarem. Eu estou louca para ver no último dia todos a fazerem a dança da música do Jason Derulo, o maior tiktok do mundo", afirmou a vice-presidente do festival.

A área vip também está a ganhar forma com uma varanda para uma vista de todo o festival. Esta parte vai ter bar aberto, uma zona de lounge e algumas atuações de piano. "É um oásis para quem quer vir para o festival mas num formato mais sofisticado e acolhedor, explicou Roberta Medina.

O mundo digital em palco

Depois da edição de 2018, o palco digital volta e com uma área maior. Uma forma que a organização indica para aumentar o conforto e circulação nesta zona do recinto.

O design deste palco destaca-se pelas duas grandes setas. Os barracões de vidro ao lado do palco já construídos, é onde irá acontecer o Not So Secret Stage, um palco dentro de um palco. A montra dá acesso ao público para ver o que se passa no backstage com os influencers e estrelas da Internet. O público pode vê-los a interagirem e criarem conteúdos para as suas redes sociais. É um palco que está sempre em atividades. Começa às 14h e acaba às 21h.

Da Playstation aos jogos retro

Na última edição do Rock in Rio, a área dedicada aos videojogos era apenas uma tenda isolada. Em 2022, a Game Square cresce. A este palco vão subir vários influencers da área do gaming. Duas zonas vão estar presentes na Game Square: uma para os jogos mais modernos como Nintendo e Playstation e outra com jogos mais antigos.

Entre a Rock Your Street e o Game Square, vai haver espaço para uma roda gigante. A novidade desta atração é que este ano cada cabine vai estar decorada com diferentes temas. Cada visitante pode também escolher música na cabine para a sua viagem.

Pluralidade na Rock Street

A Rock Your Street já é a parte mais colorida do Parque da Bela Vista. Pela a primeira vez em 10 anos traz-nos o tema da pluralidade. "É por isso que vem com todas estas cores Tudo porque quanto mais diferentes somos mais interessantes somos. E a Rock Your Street é um convite para as pessoas virem para a esta rua", disse Roberta Medina. Faltam a colocar os sinais luminosos com mensagens sobre a temática. É possível utilizar essas mensagens para tirar fotos e colocar nas redes sociais. O cartaz deste palco leva-nos numa viagem pela República do Níger, República Democrática do Congo, EUA, Angola, Turquia, Paquistão, Síria, México, Brasil e Coreia do Sul.

A sustentabilidade vai estar espalhada por todo o festival. A maioria das bases das estruturas são alugadas. "Nós focamo-nos em elementos que possam ser reutilizados. É o mesmo com os nossos parceiros. Incentivamos as marcas a trazerem estruturas modelares e que tragam estruturas que possam utilizar noutros eventos", explicou Dora Palma, Coordenadora de Sustentabilidade do festival.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG