Os Óscares têm uma música própria

Com 12 nomeações, O Poder do Cão lidera a corrida aos Óscares referentes à produção de 2021, num ano em que vários filmes, como West Side Story, são testemunho de uma invulgar riqueza musical.

Música, eis a questão. Nas nomeações dos Óscares referentes à produção de 2021 encontramos, por exemplo: Billie Eilish, candidata na categoria de melhor canção, com No Time to Die, tema-título do último filme de James Bond (composto com o irmão, Finneas O"Connell). Ou ainda o baterista da banda The Roots, Questlove: o seu Summer of Soul, dando nova vida aos registos do Harlem Cultural Festival de 1969, surge entre os que podem ganhar a categoria de melhor documentário. Isto sem esquecer que Jonny Greenwood, membro dos Radiohead, volta a integrar os nomeados a melhor banda sonora graças à sua partitura para O Poder do Cão, de Jane Campion.

É caso para dizer que ecoa, aqui, uma música muito própria, de tal modo os prémios da Academia de Hollywood conseguem congregar aquela que é a maior estrela pop da atualidade, Billie Eilish, claro, com memórias do património musical afro-americano e o experimentalismo de Greenwood. Foi ele que compôs também a música de Spencer, de Pablo Larraín, porventura o mais "esquecido" dos grandes filmes de 2021, embora esteja representado por uma nomeação, na categoria de melhor atriz, para a admirável Kristen Stewart.

Enfim, não esqueçamos a renovada presença de Steven Spielberg. O seu West Side Story, com sete nomeações, possui o fulgor de um verdadeiro panfleto - musical, justamente. A recriação da obra de Leonard Bernstein e Stephen Sondheim - que deu origem ao primeiro West Side Story (1961), assinado por Robert Wise e Jerome Robbins - repõe na linha da frente um género nem sempre muito reconhecido na história moderna dos Óscares. E se é verdade que todas as apostas são sempre um exercício superficial, por vezes fútil, não é menos verdade que podemos supor que na comunidade de Hollywood todos ou quase todos acreditam que Ariana DeBose, a "Anita" escolhida por Spielberg, tem garantida a estatueta de melhor actriz secundária.

Enfim, a musicalidade de tudo isto não esgota a sedutora pluralidade das nomeações, este ano com um luso-canadiano também em destaque: graças ao seu excelente trabalho em Nightmare Alley, de Guillermo Del Todo, Luís Sequeira é um dos candidatos ao Óscar de melhor guarda-roupa. E também não diminui, de modo algum, a proeza de O Poder do Cão, líder na estatística das nomeações: encontramo-lo em nada mais nada menos que 12 categorias, incluindo, além de melhor filme, as de realização, ator (Benedict Cumberbatch), ator secundário (duas vezes: Jesse Plemons e Kodi Smit-McPhee) e atriz secundária (Kirsten Dunst). Uma coisa é certa: nenhum filme tem nomeações que lhe permitam obter o "quinteto dourado" dos Óscares - filme, realização, ator, atriz, argumento -, essa conjugação mágica que só aconteceu três vezes (a última data de 1992, com a consagração de O Silêncio dos Inocentes).

Aliás, O Poder do Cão pode simbolizar também as evidências e ambivalências do confronto que, de uma maneira ou de outra, passou a marcar todo o território cinematográfico. A saber: a tensão entre o circuito tradicional das salas e as plataformas de "streaming". Assim, O Poder do Cão é o emblema perfeito da produção multifacetada da Netflix e da sua ambição (muito legítima, entenda-se) de conseguir, finalmente, arrebatar o Óscar de melhor filme.

Até ao dia da cerimónia destes 94.ºs prémios das Academia (27 de março), iremos, por certo, compreendendo melhor o modo como estas nomeações refletem o estado convulsivo, afinal eminentemente criativo, em que vive a produção cinematográfica. Inclusive nas suas curiosas "contradições". Exemplo? Repare-se no quinteto de nomeadas para o Óscar de melhor atriz: Jessica Chastain (The Eyes of Tammy Faye), Olivia Colman (A Filha Perdida), Penélope Cruz (Mães Paralelas), Nicole Kidman (Being the Ricardos) e a já citada Kristen Stewart. Que têm em comum? Pois bem, nenhuma delas está nos dez títulos que concorrem para melhor filme - não é inédito, mas não acontecia há 16 anos.c

Lista dos nomeados para melhor filme Óscares 2022

O Poder do Cão
Duna
Belfast
West Side Story
Não olhem para cima
Licorice Pizza
CODA
King Richard: Para Além do Jogo
Conduz o meu carro
Nightmare Alley -Beco das Almas Perdidas

dnot@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG