Morreu o cineasta cubano Juan Carlos Tabío, co-realizador de 'Morango e Chocolate'

Co-realizador do filme sobre o drama vivido pelos homossexuais na Revolução Cubana morreu esta segunda-feira em Havana, aos 77 anos

O cineasta cubano Juan Carlos Tabío, co-realizador do icónico filme "Morango e Chocolate" sobre o drama vivido pelos homossexuais na Revolução Cubana, morreu esta segunda-feira em Havana, aos 77 anos, anunciou o Instituto de Cinema de Cuba.

"Na madrugada de segunda-feira, 18 de janeiro, morreu em Havana o cineasta Juan Carlos Tabío (1943), figura importante da cinematografia nacional e autor de obras reconhecidas pelo público e pela crítica", anunciou o portal Cubacine, do jornal Instituto (Icaico), sem especificar as causas da morte.

O site destacou que Tabío, vencedor do Prémio Nacional de Cinema 2014 e cuja obra "faz parte da história transcendente do cinema cubano", "partilhou a realização de Morango e Chocolate (1993) e Guantanamera (1995) com Tomás Gutiérrez Alea (Titón)", falecido em 1996 e considerado o mais importante de todos os cineastas da ilha.

Vencedor de vários prémios internacionais, "Morango e Chocolate" revelou ao mundo o drama vivido pelos homossexuais nos primeiros anos da Revolução Cubana, com perseguições e detenções em campos de trabalhos forçados.

Cubacine destacou que Tabío "será cremado" e que "em tempo útil será comunicada a realização da despedida a este cineasta que pensou em imagens e nos deixa uma importante carreira como legado".

A morte de Tabío, autor de "Se permuta" (1985) e "Plaff" (1998), entre outros filmes, surge dias depois do também renomado cineasta cubano Enrique Pineda Barnet, realizador do emblemático filme "La bella del Alhambra" (1989), que morreu a 12 de janeiro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG