Exclusivo Luca Argel traz uma aula de história ao ritmo do samba

O brasileiro radicado no Porto está de regresso com Samba de Guerrilha, um disco que é muito mais do que isso, no qual se cruzam música e literatura, numa espécie de ópera-samba através da qual se conta, também, a história do Brasil.

Poucos o saberão, mas um dos sambas mais populares do Brasil, o Samba do Operário, foi escrito por um português, de seu nome Alfredo, que emigrou para o Brasil no início da ditadura de Salazar. Nascido e criado em Alfama, Alfredo Português, como ficou conhecido no morro da Mangueira, trocou o fado pelo samba e a meias com o famoso Cartola escreveu este tema, que devido ao seu teor, "digamos, bastante marxista", só viria a ser gravado pela primeira vez muitas décadas mais tarde, depois da reabertura da democracia no país.

É com este samba que arranca Samba de Guerrilha, o novo disco de Luca Argel, um músico brasileiro desde há alguns anos radicado no Porto, onde foi um dos responsáveis pelo surgimento da forte cena sambista portuense. O álbum é composto apenas por versões de sambas antigos, recriados com novas e arrojadas roupagens musicais, através dos quais o autor conta uma outra história do Brasil, igualmente verdadeira, mas ainda hoje bastante menos (re)conhecida, condicionada pelos efeitos da escravatura e pelo modo como estes perduram até hoje na sociedade do país sob a forma de racismo, pobreza e descriminação social.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG