Já se vendem tantos livros online como em lojas nos EUA

2017 foi ano em que o número de livros vendidos pela Internet igualou o número de exemplares vendidos em lojas físicas.

As vendas de livros na Internet nos EUA igualaram pela primeira vez em 2017 as realizadas em pontos de venda físicos, segundo os números divulgados na sexta-feira pela Associação dos Editores Norte-Americanos (AAP, na sigla em inglês).

As vendas realizadas pelos editores através da Internet atingiram os 7,5 mil milhões de dólares (6,4 mil milhões de euros), contra 7,6 mil milhões faturadas nas vendas 'ao vivo'.

Em 2016, as vendas presenciais ainda excediam as feitas em linha (Internet), com 7,95 mil milhões contra 7,13 mil milhões.

No total, foram vendidos 2,72 mil milhões de livros nos EUA em 2017, número que perto do ano anterior (2,71 mil milhões).

Globalmente, o mercado foi apoiado pelo crescimento do livro áudio, cujas vendas aumentaram 28,8%, em relação ao ano anterior, para 820 milhões de dólares.

Em relação aos géneros mais procurados, destacaram-se a não-ficção para adultos, a literatura juvenil e a ficção para jovens adultos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.