U2 forçados a acabar concerto após Bono ter perdido a voz

Desde o início do espetáculo, Bono mostrou estar em dificuldades

A banda irlandesa U2 foi forçada a interromper um concerto no sábado à noite, em Berlim, ao cabo de apenas algumas canções, depois de o seu vocalista, Bono, ter perdido subitamente a voz.

"Lamentamos profundamente a anulação do concerto desta noite. Bono estava em plena forma e a sua voz em excelentes condições antes do espetáculo (...), mas, após algumas canções, ele sofreu uma perda completa de voz", indicou o grupo irlandês num comunicado publicado na página oficial.

Os U2 afirmam não compreender o que se terá passado com a voz do seu líder e vocalista, indicando que vão "consultar um médico".

O incidente ocorreu no segundo e último concerto em Berlim integrado na digressão europeia "eXPERIENCE + iNNOCENCE".

Desde o início do espetáculo, Bono mostrou estar em dificuldades com a voz, segundo a agência France Presse.

O cantor, de 58 anos, ainda parou para beber água mineral, mas não melhorou. Bono anunciou depois que não poderia prosseguir. Os espetadores deverão poder voltar a assistir a um concerto dos U2 em data a anunciar.

Na véspera do primeiro concerto em Berlim, Bono denunciou a violência perpetrada por grupos de extrema-direita em Chemnitz, na Alemanha. "Gente como esta não tem lugar na Europa nem neste país", comentou.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.