Ricardo J. Rodrigues é finalista do Prémio Gabo

Surpresa foi a reação do jornalista Ricardo J. Rodrigues ao saber que a sua reportagem foi selecionada entre 1714 trabalhos do mundo ibero-americano: "Não estava à espera".

O jornalista do Diário de Notícias Ricardo J. Rodrigues é um dos dez finalistas na categoria texto da sexta edição do Prémio de Jornalismo Gabriel García Márquez, ao qual concorreram no conjunto 1714 trabalhos de 24 países ibero-americanos. O trabalho intitula-se "Estás viva, minha irmã, estás viva" e foi publicado na revista Notícias Magazine em 2017. A concorrer com a reportagem de Ricardo J. Rodrigues estão as de dois jornalistas do Brasil, três do México, um de Espanha, dois de El Salvador e um da Venezuela.

Para Ricardo J. Rodrigues, ao receber hoje a notícia de um responsável do Prémio Gabo, o facto de estar na seleção dos 10 melhores textos a concurso foi uma surpresa: "Não estava à espera e nem percebi que era um telefonema da Colômbia a dar notícia da nomeação." Segundo o jornalista esta "é a história muito bonita sobre uma pessoa que tive o privilégio de ver e ajudar a resolver a sua própria vida". A reportagem conta a história do regresso a Angola de Isabel Batata Doce 50 anos depois de um grupo de soldados a ter trazido ainda bebé para Lisboa.

Esta reportagem é de autoria de Ricardo J. Rodrigues e contou com a imagem do fotógrafo Rui Oliveira. Para o jornalista, disse, "este foi um verdadeiro trabalho de equipa, pelo que a nomeação é para ambos".

A escolha da reportagem de Ricardo J. Rodrigues, tal como as restantes 39 que são finalistas, resultou de um processo com três fases eliminatórias em quatro áreas: texto, imagem, cobertura e inovação. Cinco dezenas de especialistas nestas áreas cumpriram as várias fases da seleção, processo que terminou a 12 de agosto em Cartagena, Colômbia, por 12 membros de um júri internacional de referência. Agora segue-se uma seleção final de três trabalhos em cada uma das quatro áreas e dia 4 de outubro serão anunciados os vencedores do prémio durante o Festival Gabo, numa cerimónia em Medellín.

O trabalho "Racismo à Portuguesa", de Joana Gorjão Henriques, do jornal Público é outro finalista português, na categoria Imagem.

Exclusivos