Rapper A$AP Rocky foi condenado por agressão na Suécia

O artista norte-americano estava acusado de agressão numa confusão de rua em Estocolmo, que aconteceu a 30 de junho. A$AP Rocky esteve quase um mês em prisão preventiva.

O Tribunal Distrital de Estocolmo não aceitou a defesa de A$AP Rocky e condenou esta quarta-feira o rapper norte-americano como culpado de agressão, tendo recebido pena suspensa, na sequência de uma confusão de rua na capital da Suécia, de acordo com a Reuters.

Também foram condenados os dois elementos do seu grupo que se envolveram na confusão. Nenhum dos três, que se declararam inocentes, esteve presente na audiência.

A$AP Rocky esteve quase um mês em prisão preventiva, num caso que gerou bastante polémica, tendo até o presidente dos EUA, Donald Trump, chegado a questionar o sistema judicial sueco e a pedir a sua libertação. "A Suécia desiludiu a nossa comunidade afro-americana. Assisti aos vídeos de A$AP Rocky e mostra que estava a ser perseguido e assediado por desordeiros", escreveu numa das suas críticas através do Twitter.

Rakim Mayers, nova-iorquino de 30 anos, foi detido a 3 de julho, depois de uma briga a 30 de junho, da qual surgiram vídeos que se espalharam pelas redes sociais. O rapper alegava ter agido em legítima defesa, mas o tribunal não aceitou a defesa e determinou que este deve pagar uma indemnização de 12.500 coroas suecas (cerca de 110 euros) a Mustafa Jafari, com 19 anos.

A acusação afirma que o rapper atirou o jovem ao chão e os outros dois elementos o pontapearam e agrediram com murros. Mustafa Jari defendeu também que lhe bateram com uma garrafa na cabeça. Já o rapper norte-americano confirmou que atirou o jovem ao chão, mas alega que tudo aconteceu depois de Jafari se ter atirado ao seu guarda-costas. Afirmou ainda que tentou evitar a luta e negou ter usado uma garrafa.

Em comunicado, o tribunal "considera que a agressão não foi de natureza tão séria que justifique uma sentença de prisão". Ramkim Mayers foi libertado a 2 de agosto e regressou aos Estados Unidos. A sentença foi suspensa por dois anos.

Exclusivos

Premium

Líderes europeus

As divisões da Europa 30 anos após o fim da Cortina de Ferro

Angela Merkel reuniu-se com Viktor Orbán, Emmanuel Macron com Vladimir Putin. Nos próximos dias, um e outro receberão Boris Johnson. E Matteo Salvini tenta assalto ao poder, enquanto alimenta a crise do navio da ONG Open Arms, com 107 migrantes a bordo, com a Espanha de Pedro Sánchez. No meio disto tudo prepara-se a cimeira do G7 em Biarritz. E assinala-se os 30 anos do princípio do fim da Cortina de Ferro.