R Kelly admite, mas nega ter abusado sexualmente de mulheres

Uma investigação recente da BBC 3 regressou a velhas acusações de abuso sexual que o rapper de Chicago terá cometido, várias delas com menores. Os agregadores musicais Spotify e Apple Music retiraram-no das suas listas. R Kelly lançou agora uma canção, de resposta, chamada "Eu admito"

Várias das acusações contra R Kelly já chegaram aos tribunais americanos. O seu casamento com uma menor, Aaliyah, que tinha na altura 15 anos, foi anulado. O rapper, de 51 anos, já fez acordos extra-judiciais noutros casos. Mas as acusações de violência sexual e pedofilia nunca foram provadas pela justiça - que o chegou a deter em várias ocasiões.

Tudo isto faz parte de uma longa série de acusações, que começaram nos anos 90, que a BBC 3 recupera na sua reportagem. O resultado foi uma campanha internacional de censura contra o rapper, chamada #MuteRKelly. O efeito não tardou: Spotify, Pandora e Apple Music, distribuidores de música digital, retiraram o músico das suas listas.

Agora, R Kelly decidiu responder. A música que compôs e divulgou ontem, dia 23, na sua página, chama-se "Eu admito" (I Admit). Mas o título é sarcástico. O músico admite apenas que cometeu "erros" (como não ser monógamo) mas nega todas as acusações de pedofilia e sexo não consensual.

"Só Deus pode me silenciar"

A música que agora lançou tem 19 minutos "Como é que eles podem dizer que eu não respeito essas mulheres?" Na letra do rap, R Kelly chama "louco" a quem o acusa de ser "pedófilo". "Eu admito que sinto muito pelos meus pecados". O abuso de álcool, por exemplo. Mas a campanha para o silenciar é, nas suas palavras, uma perda de tempo. "Só Deus me pode silenciar."

Faith Rodgers, de 19 anos, é uma das acusadoras. Nas suas palavras, R Kelly infetou-a "conscientemente" com uma doença sexualmente transmissível, e sujeitou-a a abuso mental, físico e verbal.

A música continua: "Dizem que abusei dessas mulheres... isso é... absurdo." "Elas tiveram uma lavagem cerebral, realmente? Foram sequestradas, realmente? Não podiam comer, realmente?"

Em "Eu admito" Kelly recorda que, quando era criança, ele próprio foi vítima de abuso sexual.

Ler mais

Exclusivos