Música eletrónica a partir de hoje no Parque Eduardo VII com festival LISB-ON

St Germain, Maceo Plex e Mr. Fingers atuam no festival LISB-ON, que começa esta sexta-feira no Parque Eduardo VII

O Parque Eduardo VII volta esta sexta-feira, e durante três dias, a ser uma pista de dança a céu aberto com a 5.ª edição do festival LISB-ON, com um cartaz que inclui St Germain, Maceo Plex e Mr. Fingers.

O festival apresenta um cartaz com cerca de 30 atuações, entre concertos e DJ 'sets', "em que a diversidade e qualidade da programação musical são palavras de ordem - entre o chill out e o techno, sempre atento ao disco, house, jazz, soul, funk ou pop eletrónica".

Hoje, o "jardim sonoro" recebe Rodhad, Radio Slave, Michael Mayer, Todd Terje, HNRQ (no palco principal), Antal, Jayda G, Sassy J, St. Joseph e John Player Special (no palco secundário).

Para sábado estão marcadas as atuações de Maceo Plex, St Germain, Vakula, Pedro Tenreiro & João Tenreiro (no palco principal), Tama Sumo, Young Marco, Lakuti, Toze Diogo e Gonçalo Siopa (no palco secundário).

No domingo, atuam Kerri Chandler, Larry Heard (Mr. Fingers), Mr. Scruff, Daniele Baldelli, Liamba (no palco principal), Margaret Dygas, Daniel Bell, Titonton Duvante, João Maria e Diogo Lacerda (no palco secundário).

Assente num conceito que "pretende trazer a festa para a luz do dia", no LIS-BON as atuações iniciam-se pelas 14:00 e estendem-se até cerca das 00:00.

Nesta edição, a organização volta a apoiar a Casa dos Animais de Lisboa, "através de uma percentagem das receitas do evento".

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.