Grammys. A noite foi das mulheres e do rap. Michelle Obama surpreende no palco

A antiga primeira-dama dos EUA surpreendeu quando subiu ao palco da 61.ª cerimónia de entrega dos prémios Grammys. Alicia Keys disse que não estava sozinha e chamou as suas "manas", entre elas Michelle Obama. "A música ajudou-me sempre a contar a minha história", disse.

Michelle Obama causou surpresa e entusiasmo quando subiu ao palco da 61.ª cerimónia dos prémios Grammys, que decorreu na noite de domingo (madrugada em Portugal) na arena Staples Center, em Los Angeles.

A cantora Alicia Keys avisou que não tinha vindo sozinha e chamou as suas "manas". Foi nesse momento que a antiga primeira-dama dos EUA subiu ao palco acompanhada por Jennifer Lopez, Lady Gaga e Jada Pinkett Smith numa noite em que as mulheres brilharam e o rap também esteve em destaque ao conquistar importantes prémios.

Ovacionada, a mulher do antigo Presidente dos EUA, Barack Obama, falou sobre o papel que a música tem na sua vida. "Dos discos da Motown que ouvi no sul às canções como 'Who Runs the World (Girls)" que me alimentaram e deram energia nesta última década, a música ajudou-me sempre a contar a minha história", afirmou.

Michelle Obama registou o momento na rede social Twitter onde destacou a amizade com a anfitriã da noite, Alicia Keys, "uma das pessoas mais genuínas e atenciosas". "Não há ninguém melhor para nos ajudar a celebrar o poder unificador da música", destacou.

E foram mesmo as mulheres que estiveram em destaque em mais uma edição dos Grammys ao vencerem no domingo, em Los Angeles, nas categorias de Melhor Álbum do Ano e de Melhor Jovem Artista, enquanto o 'rap' conquistou importantes troféus.

"Golden Hour", de Kacey Musgraves, venceu o Melhor Álbum do Ano e Dua Lipa ganhou o prémio de Melhor Jovem Artista.

Childish Gambino foi o grande vencedor da noite, recebendo quatro prémios, incluindo Melhor Videoclip e Melhor Desempenho Rap/Cantado.

Drake surpreendeu o mundo da música quando surgiu no palco para aceitar a distinção de Melhor Canção Rap.

Drake, que raramente assiste a este tipo de cerimónias, foi premiado pelo sucesso, "God's Plan".

Melhor Álbum de Rap foi para Cardi B

O 'rap' vinha de um longo período de derrotas nos Grammy. A última vez que um rapper ganhou o Álbum do Ano foi em 2004, com "Outkast", e poucos tinham vencido a distinção de Melhor Jovem Artista.

Cardi B fez história como a primeira artista a solo a ganhar o Melhor Álbum de Rap (Lauryn Hill venceu como membro do grupo Fugees nos Grammy de 1997).

A abertura contrastou com os Grammy do ano passado, onde os desempenhos masculinos dominaram as nomeações e a única mulher a competir pelo prémio principal, Lorde, não chegou a pisar o palco.

Contudo, este ano, Lady Gaga, Brandi Carlile e Kacey Musgraves ganharam três distinções cada.

Carlile ganhou três prémios na categoria Americana. Gaga também venceu três, incluindo o Melhor Desempenho Pop para Duo ou Grupo, uma vitória que dividiu com Bradley Cooper.

Gaga, agora nove vezes vencedora de um Grammy, ganhou o prémio de melhor performance a solo com "Joanne", enquanto o sucesso "Shallow", de "Assim Nasce Uma Estrela", também foi distinguido, estando nomeada para um Óscar, já depois de arrecadar um Globo de Ouro.

Na música 'country', Musgraves ganhou o melhor álbum, com "Golden Hour", melhor desempenho a solo, com "Butterflies", e melhor música, com "Space Cowboy".

Diana Ross foi aplaudida de pé quando surgiu no palco para tocar "Reach Out and Touch (Somebody's Hand)" and "The Best Years of My Life".

Ariana Grande venceu o seu primeiro Grammy, com "Sweetener", na categoria de Melhor Álbum Pop.

Exclusivos