Justin Timberlake vai publicar livro com histórias e fotografias da sua carreira

O álbum será editado nos Estados Unidos a 30 de outubro.

Não se trata de uma autobiografia "tradicional", mas o músico Justin Timberlake vai publicar um livro em que conta histórias divertidas sobre a família, a vida e a carreira e partilha "centenas de fotografias pessoais".

Em formato de álbum, o livro intitula-se Hindsight and All the Things I Can't See in Front of Me (Perspetiva e Todas as Coisas que Não Consigo Ver à Minha Frente, numa tradução livre) e será editado a 30 de outubro pela Harper Collins.

"Fazer este livro foi um processo maravilhoso", disse Timberlake num comunicado. "A minha história está cheia de tantas pessoas fantásticas que me ajudaram a tornar-me no artista que sou hoje. Estou muito grato por ter a oportunidade de refletir sobre esses momentos, destacar algumas das pessoas e lugares que influenciaram a minha música e e ter oportunidade de partilhar a minha história."

O livro é coescrito por Sandra Bark e nele o músico de 37 anos vai contar histórias do início da sua carreira com os 'N Sync e das participações no Saturday Night Live, por exemplo. Os fãs já podem fazer a encomenda através do site oficial do cantor.

Timberlake editou Man Of The Woods, o seu último álbum, em fevereiro. E no mês passado lançou Soul Mate, uma inesperada colaboração com Drake. No comunicado, ele explica: "Não consigo evitar que a minha música mostre quem eu sou neste momento, aquilo que me interessa, em que estou a pensar. Não quero impedir isso. O que vocês ouvem nas letras, o que sentem nas canções - é o que eu estava a sentir quando as escrevi. Quero que me vejam a mim, tal como eu vos vejo."

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.