Justin Bieber confirma noivado com Hailey Baldwin

O cantor canadiano declarou-se à filha de Stephen Baldwin no Instagram: "És o amor da minha vida." Ela respondeu no Twitter: "Não tenho a certeza do que fiz na vida para merecer tanta felicidade."

"Queria esperar para dizer alguma coisa, mas as notícias espalham-se depressa", escreveu Justin Bieber, no Instagram, confirmando o seu noivado com Hailey Baldwin. "O meu coração é completamente e totalmente teu e vou sempre pôr-te em primeiro lugar! És o amor da minha vida Hailey Baldwin e não queria passá-la com mais ninguém", acrescentou.

"Tu tornas-me melhor e completamo-nos tão bem! Não posso esperar pela melhor época da minha vida! É engraçado porque agora, contigo, tudo parece fazer sentido", disse Bieber na mensagem.

O cantor canadiano de 24 anos e a modelo norte-americana de 21, filha do ator Stephen Baldwin (o mais novo dos irmãos Baldwin), namoraram em 2016 e voltaram a estar juntos no mês passado, depois de ele terminar a relação com a cantora Selena Gomez. Ficaram noivos no sábado. O pedido de casamento foi feito num resort nas Bahamas e a notícia espalhou-se rapidamente, depois de chegar ao site especializado TMZ.

Hailey anunciou a sua felicidade no Twitter, já depois de o intérprete de êxitos como "Sorry", "Let Me Love You" ou "Never Let Me Go" ter confirmado o futuro enlace.

"Não tenho a certeza do que fiz na vida para merecer tanta felicidade, mas estou completamente agradecida a Deus por me dar uma pessoa tão incrível para partilhar a minha vida! Não há palavras para expressar a minha gratidão", escreveu.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Legalização da canábis, um debate sóbrio 

O debate público em Portugal sobre a legalização da canábis é frequentemente tratado com displicência. Uns arrumam rapidamente o assunto como irrelevante; outros acusam os proponentes de usarem o tema como mera bandeira política. Tais atitudes fazem pouco sentido, por dois motivos. Primeiro, a discussão sobre o enquadramento legal da canábis está hoje em curso em vários pontos do mundo, não faltando bons motivos para tal. Segundo, Portugal tem bons motivos e está em boas condições para fazer esse caminho. Resta saber se há vontade.

Premium

nuno camarneiro

É Natal, é Natal

A criança puxa a mãe pela manga na direcção do corredor dos brinquedos. - Olha, mamã! Anda por aqui, anda! A mãe resiste. - Primeiro vamos ao pão, depois logo se vê... - Mas, oh, mamã! A senhora veste roupas cansadas e sapatos com gelhas e calos, as mãos são de empregada de limpeza ou operária, o rosto é um retrato de tristeza. Olho para o cesto das compras e vejo latas de atum, um quilo de arroz e dois pacotes de leite, tudo de marca branca. A menina deixa-se levar contrariada, os olhos fixados nas cores e nos brilhos que se afastam. - Depois vamos, não vamos, mamã? - Depois logo se vê, filhinha, depois logo se vê...