Fallon, Colbert e Conan O'Brien unem-se contra Trump

Humoristas protagonizam um "sketch" contra o presidente dos EUA que os criticou durante um comício. "Alma perdida", "reles" e "não têm talento" foram algumas das palavras de Trump contra os apresentadores

Para o presidente dos Estados Unidos, Jimmy Fallon é uma "alma perdida" e Stephen Colbert é "reles". As duras críticas de Donald Trump aos humoristas foram ouvidas durante um comício na Carolina do Sul, na passada segunda-feira. A resposta não tardou em chegar.

Anfitriões de talk show's na televisão norte-americana - "The Tonight Show with Jimmy Fallon" (NBC) e "The Late Show with Stephen Colbert" (CBS) - os comediantes colocaram de lado a luta pelas audiências e uniram-se para protagonizar um "sketch" humorístico em resposta às críticas de que foram alvo. A eles juntou-se Conan O'Brien, comediante e apresentador da TBS.

"Honestamente, estas pessoas são engraçadas?", questionou Donald Trump à audiência durante o comício. "E eu consigo rir de mim. Francamente, se eu não conseguisse estaria em apuros. Mas não há ali talento. Não são pessoas talentosas. Johnny Carson era talentoso", disse referindo-se ao comediante e apresentador que conduziu o "Tonight Show" durante 30 anos.

E eu consigo rir de mim. Francamente, se eu não conseguisse estaria em apuros. Mas não há ali talento. Não são pessoas talentosas. Johnny Carson era talentoso

A resposta a Donald Trump surgiu em forma de vídeo, transmitido no início do "The Late Show with Stephen Colbert", na passada terça-feira. Os humoristas cumprimentaram-se recorrendo aos insultos de que foram alvo.

Conan O'Brien juntou-se depois a Fallon e Colbert na videoconferência. "Donald Trump? O tipo do setor imobiliário, que vende bifes? É ele o presidente", parodiou o humorista.

No final do vídeo, Jimmy Fallon e Stephen Colbert combinam almoçar juntos no Red Hen, nada mais, nada menos que o restaurante onde a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders foi expulsa por trabalhar com Donald Trump.

Veja o vídeo:

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.