Disney despede diretor da saga Guardiões da Galáxia

A produtora decidiu dispensar James Gunn após ter descoberto os seus tweets com piadas de mau gosto sobre pedofilia e violações

A Disney Studios decidiu despedir James Gunn, diretor da série de filmes Guardiões da Galáxia, numa altura em que se preparava para ser filmado o terceiro filme da saga.

Na base desta decisão estão um conjunto de antigas publicações na sua conta de Twitter, onde fez comentários de mau gosto sobre pedofilia e violações.

"As atitudes e declarações ofensivas descobertas no Twitter do James são indefensáveis e não se enquadram nos valores do nosso estúdio, como tal rompemos nosso relacionamento comercial com ele", explicou o presidente da Walt Disney Studios, num comunicado divulgado esta sexta-feira.

Segundo a revista Vanity Fair, foi um repórter do canal de televisão One America News Network, que descobriu 16 tweets de James Gunn entre 2009 e 2012, alguns dos quais já depois da estreia do primeiro filme Guardiões da Galáxia.

As publicações já foram apagadas por James Gunn, que utilizou a sua conta de Twitter para justificar as suas piadas de mau gosto. "Quem tem seguido a minha carreira sabe que quando comecei, via-me como um provocador, fazia filmes e contava piadas que eram ultrajantes e tabu. Mas, como tenho dito, cresci como pessoa, tal como o meu trabalho e o meu humor", explicou, acrescentando que é "muito, muito diferente do que era há alguns anos".

"Hoje tento centrar o meu trabalho no amor, nas ligações e menos na raiva. Aqueles dias em que procurava que as pessoas reagissem ao que dizia acabaram", frisou, lembrando que "no passado" já tinha "pedido desculpas" pelo seu o humor que, assume, "magoou pessoas".

"Para que conste, quando fiz aquelas piadas não me revia nelas. Sei que o que digo parece estranho e parece óbvio, mas ainda assim o digo", adiantou, garantindo que "essa é a mais honesta das verdades". "É verdade que costumava fazer muitas piadas ofensivas, mas já não as faço. Não me culpo pelo passado, mas hoje gosto mais de mim e sinto-me um ser humano melhor", finalizou James Gunn, que ainda assim já não vai a tempo de evitar o despedimento.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Legalização da canábis, um debate sóbrio 

O debate público em Portugal sobre a legalização da canábis é frequentemente tratado com displicência. Uns arrumam rapidamente o assunto como irrelevante; outros acusam os proponentes de usarem o tema como mera bandeira política. Tais atitudes fazem pouco sentido, por dois motivos. Primeiro, a discussão sobre o enquadramento legal da canábis está hoje em curso em vários pontos do mundo, não faltando bons motivos para tal. Segundo, Portugal tem bons motivos e está em boas condições para fazer esse caminho. Resta saber se há vontade.

Premium

nuno camarneiro

É Natal, é Natal

A criança puxa a mãe pela manga na direcção do corredor dos brinquedos. - Olha, mamã! Anda por aqui, anda! A mãe resiste. - Primeiro vamos ao pão, depois logo se vê... - Mas, oh, mamã! A senhora veste roupas cansadas e sapatos com gelhas e calos, as mãos são de empregada de limpeza ou operária, o rosto é um retrato de tristeza. Olho para o cesto das compras e vejo latas de atum, um quilo de arroz e dois pacotes de leite, tudo de marca branca. A menina deixa-se levar contrariada, os olhos fixados nas cores e nos brilhos que se afastam. - Depois vamos, não vamos, mamã? - Depois logo se vê, filhinha, depois logo se vê...