Compositor da banda sonora de "Love Story" morre aos 86 anos

O francês Francis Lai conquistou o Óscar para a melhor banda sonora em 1970

O compositor e pianista francês Francis Lai morreu aos 86 anos. A notícia foi revelada pelo presidente do município de Nice, cidade de onde era natural, sendo que as causas da morte não foram reveladas.

"É com imensa tristeza que recebi a notícia da morte de Francis Lai", escreveu o autarca Christian Estrosi nas redes sociais, garantindo que a cidade de Nice irá prestar homenagem a um dos seus mais famosos filhos.

Francis Lai ficou conhecido pelo Óscar que recebeu em 1970 de melhor banda sonora, relativa ao filme "Love Story", na qual o tema "Where do I begin" se tornou um verdadeiro sucesso na altura e que foi interpretado pelo cantor americano Andy Williams.

Além deste sucesso, o compositor francês também escreveu canções para Edith Piaf, Juliette Gréco e Yves Montand, além de ter composto músicas para mais de 100 filmes.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.

Premium

Opinião

Angola, o renascimento de uma nação

A guerra do Kosovo foi das raras seguras para os jornalistas. Os do poder, os kosovares sérvios, não queriam acirrar ainda mais a má vontade insana que a outra Europa e a América tinham contra eles, e os rebeldes, os kosovares muçulmanos, viam nas notícias internacionais o seu abono de família. Um dia, 1998, 1999, não sei ao certo, eu e o fotógrafo Luís Vasconcelos íamos de carro por um vale ladeado, à direita, por colinas - de Mitrovica para Pec, perto da fronteira com o Montenegro. E foi então que vi a esteira de sucessivos fumos, adiantados a nós, numa estrada paralela que parecia haver nas colinas.