Cinema romeno reafirma o seu realismo

No panorama mais ou menos rotineiro do mercado de Verão, o destaque vai, esta semana, para um filme vindo da Roménia

Há mais mundos (cinematográficos) para além dos super-heróis... Mesmo se é verdade que esta semana um filme esquemático e despretensioso como Homem-Formiga e a Vespa vem provar que, nestas coisas de aventuras mais ou menos digitais, algum sentido de humor não será coisa secundária. Em qualquer caso, atenção a um título da produção romena, Ana, Meu Amor, e à sua reafirmação de um intransigente realismo.

ANA, MEU AMOR - Pelo menos desde 4 Meses, 3 Semanas e 2 Dias, de Cristian Mungiu (Palma de Ouro em Cannes/2007), associamos o cinema da Roménia a uma intensa, não poucas vezes perturbante, energia realista. Assim volta a acontecer nesta realização de Calin Peter Netzer, centrada em dois talentosos atores, Mircea Postelnicu e Diana Cavallioti. Seguimos a existência convulsiva de um casal que, dos tempos da universidade às atribulações conjugais, percorre um caminho marcado pela prática da psicanálise e pelas componentes católicas da sociedade romena.

* * * bom

HOMEM-FORMIGA E A VESPA - Digamos que, entre as muitas produções com chancela Marvel, já vimos francamente pior... Com direcção de Peyton Reed (que, em 2015, já assinara o primeiro Homem-Formiga) as aventuras deste super-herói com dons microscópicos tem, pelo menos, a seu favor um humor sem complexos e também um excelente actor, Paul Rudd, no papel central.

* * com interesse

MARYLINE - Membro da Comédie Française, Guillaume Gallienne assina a sua segunda realização, depois de A Mamã, os Rapazes e Eu (2013), convidando a sua colega Adeline d"Hermy para o papel principal. Trata-se de fazer o retrato amargo e doce de uma jovem do mundo rural que tenta a carreira de actriz em Paris: o filme tem algo de desconjuntado, oscilando entre a crónica paródica e o apelo trágico, valendo, sobretudo, pela surpreendente versatilidade da sua protagonista.

* * com interesse

SIBÉRIA - Para sempre deserdado do universo fascinante de Matrix, Keanu Reeves continua a tentar a sua sorte num registo de policial mais ou menos televisivo, neste caso interpretando um negociante de diamantes que viaja até à Rússia para tentar encontrar o sócio desaparecido... Esquemático, previsível, não mais que um incidente do Verão cinematográfico.

o mau

Ler mais

Exclusivos