Celeste Rodrigues. As reacções à morte da fadista

Do fadista Camané ao Presidente da República foram várias as personalidades que lamentaram a morte de Celeste Rodrigues

A fadista morreu esta quarta-feira aos 95 anos. Nunca parou de cantar. Para trás deixa saudades, como referem as seguintes personalidades:

O Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa destacou o caráter único da voz de Celeste Rodrigues que "nunca perdeu a curiosidade de conhecer um mundo em permanente mudança".

O compositor José Fernando deseja que a fadista não seja esquecida, que continue "a viver na cabeça e no coração das pessoas". José Fernando escreveu fados e canções para Celeste Rodrigues.

O Primeiro Ministro António Costa despediu-se no Twitter. Elogiou a forma "plena e livre" como a fadista, que descreveu como "querida amiga", viveu.

O realizador Bruno de Almeida lembra a fadista "cheia de vida". O cineasta filmou-a a intrepretar "Fado Celeste" para uma curta com o mesmo nome.

A fadista Carminho recorda o "timbre muito profundo, ligeiramente velado". As duas conheceram-se na casa de fados da mãe de Carminho, Teresa Siqueira.

O ministro da Cultura Luís Filipe de Castro Mendes destacou a "vibrante carreira" de Celeste Rodrigues, que "tinha uma destacada capacidade de interpretação e foi uma das primeiras fadistas".

O fadista Camané destaca o tema "Paria de Outuno" da fadista e lembra o mérito da dimensão da sua carreira, tendo em conta que se tratava da irmã mais nova de Amália Rodrigues .

Ler mais

Exclusivos