Príncipe Carlos escolheu 100 obras de arte para exposição em Buckingham

Manto de Napoleão, fotografias dos filhos e aguarelas do próprio príncipe estão entre as obras da exposição que estará aberta ao público até ao final de setembro no palácio, em Londres.

Maria João Caetano
A exposição "Prince and Patron" no Palácio de Buckingham, em Londres | foto REUTERS/Toby Melville
A exposição "Prince and Patron" no Palácio de Buckingham, em Londres | foto REUTERS/Toby Melville
A exposição "Prince and Patron" no Palácio de Buckingham, em Londres | foto REUTERS/Toby Melville
A exposição "Prince and Patron" no Palácio de Buckingham, em Londres | foto REUTERS/Toby Melville
A exposição "Prince and Patron" no Palácio de Buckingham, em Londres | foto REUTERS/Toby Melville
A exposição "Prince and Patron" no Palácio de Buckingham, em Londres | foto REUTERS/Toby Melville
Carlos e Camila visitaram a exposição  | foto Direitos reservados/ Royal Collection Trust/Her Majesty Queen Elizabeth II 2018

O manto de veludo vermelho de Napoleão Bonaparte é uma das peças escolhidas pelo príncipe Carlos de Inglaterra para a exposição Prince and Patron , que estará a partir de sábado aberta ao público no Palácio de Buckingham, em Londres.

O manto esteve muitos anos exposto no Castelo de Windsor. No audio-comentário que acompanha os visitantes da exposição, Carlos explica: "Desde que, em criança, eu via este manto na grande vestíbulo de Windsor, que me sinto fascinado pela magia da cor, o padrão do forro e a fascinante história do próprio Napoleão que ele evoca". Diz-se que o manto foi usado pelo Imperador durante a campanha do Egito e que, 15 anos mais tarde foi encontrada na sua carruagem após a Batalha de Waterloo. Foi assim que veio parar à Coleção Real.

Para a exposição que assinala os 70 anos do príncipe, que se celebram a 14 de novembro, Carlos selecionou mais de 100 peças, desde retratos da família e fotografias até obras de arte da Coleção Real e até trabalhos de jovens artistas promissores. Entre as fotografias, é possível ver algumas do recente casamento de Harry e Meghan, assim como do batizado do príncipe George e outra com Carlos e o seu primeiro neto. Há ainda dias aguarelas de autoria de Carlos, pintadas da década de 1990 na propriedade da Rainha em Balmoral.

A exposição está patente na Ball Supper Room, uma sala octogonal, com quadros pendurados por toda a parede e mesas repletas de objetos decorativos, e ainda mobiliário, vasos e estátuas pela sala. Vanessa Remington, curadora de pintura da Coleção Real, explicou aos jornalistas: "É uma inovação porque não é a arrumação típica de um museu, as obras não estão expostas isoladamente, são mostradas em profusão, de forma muito, muito densa".

Uma vez que a Coleção Real tem cerca de 8 mil pinturas, 30 mil trabalhos em papel 500 mil objetos de arte decorativa, a escolha de apenas 100 peças não deve ter sido nada fácil. "Penso que a seleção reflete que Sua Alteza Real tem olho para o melhor. É uma seleção muito diversificada mas em cada caso ele procurou o melhor", comentou Remington.

Pode ver AQUI todas as peças que estão nesta exposição.

A partir de sábado, e como sempre no verão, o Palácio de Buckingham estará aberto ao público até 30 de setembro.