Filipe Carvalho nomeado para um Emmy. "Já ganhei"

Uma nomeação que sabe a prémio para o português Filipe Carvalho. O trabalho do motion designer levou-o a estar na corrida a um Emmy. "Não estava à espera, embora fosse um objetivo de longa data", admite ao DN

Susete Henriques
© Facebook Filipe Carvalho

"Discurso de agradecimento? A minha mulher tem falado nisso. Temos de tratar do vestido dela e do meu fato. As coisas estão a tornar-se realidade", admite Filipe Carvalho, entre risos, ainda meio surpreendido com a notícia desta terça-feira: a nomeação para um Emmy.

O motion designer português, de 37 anos, está na corrida para o prémio de melhor genérico com o trabalho que desenvolveu para a série norte-americana de ficção científica "Counterpart", do canal Starz, protagonizada pelo oscarizado ator J.K. Simmons. E vai estar na cerimónia de entrega de prémios, que se realiza em Los Angeles, EUA, em setembro. "Estou muito contente. Não estava à espera, embora fosse um objetivo de longa data", afirma ao DN Filipe Carvalho, cujo trabalho pode ser visto nos genéricos de filmes como "Thor: o Mundo das Trevas", "O Fantástico Homem Aranha 2" e as séries "Guerra dos Tronos" e "Cosmos - A Spacetime Odyssey".

"Nesta indústria este é o prémio de topo"

Trabalha com os estúdios norte-americanos há quase 10 anos e os Emmys "eram uma possibilidade", diz, sem, no entanto, esconder a surpresa. Foi o genérico que fez para "Counterpart" que o levou a estar entre os nomeados da 70.ª edição do Emmy Awards. Veja o vídeo:

A série é do estúdio Imaginary Forces, que no ano passado ganhou um Emmy com a série da Netflix "Stranger Things", na mesma categoria a que concorre agora Filipe Carvalho. Este ano o estúdio volta a estar na corrida, mas agora com um português. "Não conheço nenhum caso em que um freelancer, que trabalhe remotamente, neste caso em Portugal, esteja nomeado", conta Filipe Carvalho. Certo, certo é que o seu nome está na lista da equipa técnica da série. "Fiquei surpreendido, porque acho que não é muito normal", confidencia.

Para Filipe Carvalho, "a nomeação é a valorização" do trabalho que tem desenvolvido nos últimos anos. "Ser nomeado é uma grande vitória. Mesmo que não ganhe, já ganhei, porque nesta indústria este é o prémio de topo", considera o designer português, que vai estar na entrega dos prémios técnicos nos dias 8 e 9 de setembro, que antecede a cerimónia que vai ser transmitida pela NBC, no dia 17 do mesmo mês.

Um reconhecimento do trabalho deste motion designer, a viver em Lisboa há cerca de 15 anos, que depressa foi inundado com mensagens de parabéns, entre as quais "de algumas pessoas que já não via há anos" da sua terra natal, o Cartaxo.

A nomeação é a consequência da carreira internacional que fez enquanto freelancer. Mas desde há um ano que Filipe Carvalho tem um estúdio próprio em parceria com a produtora Até ao Fim do Mundo. Chama-se Foreign Affairs e permite-o trabalhar diretamente com os canais norte-americanos, como HBO e Netflix, sem passar pelos estúdios de criativos.

A "visão cinematográfica" que o diferencia

E além do motion design, Filipe Carvalho trabalha há já dois anos como realizador em projetos feitos em Portugal, mas "com a perspectiva do mercado internacional". "Em breve vai haver novidades", diz, sem querer ainda revelar o que vem aí.

Um caminho que não causa estranheza, afinal a paixão pelo cinema sempre o acompanhou. Aliás, é a "visão muito cinematográfica" de Filipe Carvalho que o diferencia. "É por isso que sou chamado para os projetos".

"A animação gráfica não me diz muito. Sou mais virado para o cinema, para as imagens reais. É por isso que sou chamado para os projetos", explica o motion designer. Um conceito e uma visão que estão bem visíveis no site de Filipe Carvalho.