"Há truques sujos para desacreditar" vítimas de Weinstein, acusa atriz

A atriz britânica Lysette Anthony, que alega ter sido violada pelo produtor de Hollywood no anos 80, diz que existe uma tentativa de transformar as vítimas em cúmplices das agressões sexuais

A atriz britânica Lysette Anthony, a primeira do lado de cá do Atlântico a acusar Harvey Weinstein de a ter violado, garante que ela e outras mulheres que alegam ter sido vítimas do famoso produtor de Hollywood, agora caído em desgraça, estão a pagar um alto preço por terem ousado levantado a voz para denunciar os seus ataques sexuais. Há uma tentativa de desacreditar as vítimas, diz.

"Houve uma enorme reação contra as mulheres" do movimento Me too, disse Lysette Anthony ao The Sunday Times, que hoje publica uma entrevista com ela. "Sei que as pessoas têm andado a falar em jantares, para tentar fazer-nos parecer cúmplices [do que aconteceu] ", diz.

No seu caso, revela, o filho Jimi, de 14 anos, foi assediado por outros rapazes, que lhe atiraram à cara que a mãe era "a prostituta de Weinstein", revela.

A actriz britânica, hoje com 54 anos, acusou Weinstein de a ter violado no final dos anos de 1980, no seu apartamento de Londres.

De acordo com o depoimento que fez à polícia, ela e Weinstein conheceram-se em 1982 e, anos depois, ele visitou-a em casa e violou-a. Para ela, o que se seguiu, diz, "foram anos de a vergonha" que quase "a levaram ao suicídio".

Harvey Weinstein, que foi acusado de violação e assédio por mais de 80 mulheres da indústria cinematográfica, foi entretanto formalmente acusado de seis crimes, entre quais agressão predatória e violação em primeiro e terceiro graus, relacionados com três mulheres.

O produtor de Hollywood diz-se inocente e está em liberdade, depois de ter pago uma fiança em julho.

Lysette Anthony acredita que ele e os seus advogados estarão a usar "truques sujos" para desacreditar as suas vítimas. É dessa forma que ela vê o caso da atriz italiana Agia Argento, que liderou o movimento Me Too, e que agora foi acusada pelo ator Jimmy Bennett de abuso sexual, quando adolescente.

Asia Argento negou as acusações. Veio a saber-se depois, no entanto, que o marido da atriz italiana, o chef Anthony Bourdain, recentemente falecido, pagou 300 mil libras a Bennett para comprar o seu silêncio.

Para Lysette Anthony tudo não passa, porém, de um golpe para desacreditar as denúncias. "Ela [Argento] foi extraordinariamente corajosa por ter feito frente a Weinstein e agora está a ser castigada e vilipendiada", garante.

"As pessoas estão muito assustadas", diz Anthony. "Sei que há quem, na indústria do cinema, acredite que Harvey Weinstsein vai voltar. Só sobre o meu cadáver".

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.