Nasceu uma estrela chamada... Lady Gaga!

Releia a crítica ao filme com Bradley Cooper e Lady Gaga que pode vencer um Óscar este domingo.

É verdade: mesmo os que não são fãs de Lady Gaga, diriam que ela é, simplesmente (e justificadamente) uma estrela da música pop. Pois bem, será altura de emendarmos a nossa visão dos seus talentos: naquela que é a grande estreia desta semana, Assim Nasce uma Estrela, Lady Gaga, além de cantar, mostra que é uma atriz de corpo inteiro - e não será exagerado supor que o filme (e ela em particular) terá um lugar de evidência na próxima temporada de prémios em Hollywood, em especial nos Globos de Ouro e nos Óscares.

ASSIM NASCE UMA ESTRELA - Bradley Cooper, actor de sofistados recursos arriscou muito e... ganhou! Para mais acumulando as funções de produtor, argumentista, intérprete e realizador. Este A Star Is Born é uma feliz reinvenção do drama de uma mulher em ascensão no mundo espetáculo, tendo como patrono um homem fortemente dependente do álcool (recorde-se que se trata da quarta versão dessa história, sendo a de 1976, com Barbra Streisand e Kris Kristofferson, a anterior). Em termos cinematográficos, Bradley Cooper e Lady Gaga serão, por certo, o par do ano.

FELIZ COMO LÁZARO - Foi um dos títulos consagrados no último Festival de Cannes (prémio de argumento). Fiel ao seu gosto pelas parábolas sociais, a realizadora italiana Alice Rohrwacher encena a vida atribulada de Lázaro, personagem rural de tocante candura e vulnerabilidade que vai enfrentar as convulsões das paisagens urbanas... Ou como a herança de Pier Paolo Pasolini está viva.

O CADERNO NEGRO - A chilena Valeria Sarmiento retoma a herança cinematográfica de Camilo Castelo Branco, em especial de Mistérios de Lisboa (2010), uma realização do seu marido Raúl Ruiz (1941-2011) cuja montagem foi da sua responsabilidade. A adaptação do romance O Livro Negro do Padre Dinis propõe, assim, um reencontro, de uma só vez didático e irónico, com o século XVIII e as delícias narrativas do folhetim histórico.

A APARIÇÃO - O cineasta francês Xavier Giannoli será, sobretudo, conhecido pelo seu Marguerite (2015), filme inspirado pela mesma personagem de uma (péssima) cantora de ópera que esteve na base de Florence, uma Diva Fora de Tom (2016), com Meryl Streep. Agora, Ginanoli propõe uma viagem dramática, centrada num jornalista (Vincent Lindon) que investiga o caso de uma jovem de uma pequena vila francesa que diz ter assistido a uma aparição da Virgem Maria - foi um dos títulos, em ante-estreia, da Festa do Cinema Francês.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Dos pobres também reza a história

Já era tempo de a humanidade começar a atuar sem ideias preconcebidas sobre como erradicar a pobreza. A atribuição do Prémio Nobel da Economia esta semana a Esther Duflo, ao seu marido Abhijit Vinaayak Banerjee e a Michael Kremer, pela sua abordagem para reduzir a pobreza global, parece indicar que estamos finalmente nesse caminho. Logo à partida, esta escolha reforça a noção de que a pobreza é mesmo um problema global e que deve ser assumido como tal. Em seguida, ilustra a validade do experimentalismo na abordagem que se quer cada vez mais científica às questões económico-sociais. Por último, pela análise que os laureados têm feito de questões específicas e precisas, temos a demonstração da importância das políticas económico-financeiras orientadas para as pessoas.