Demissão em massa nos prémios César. Nomeação de Polanski não ajudou

Academia francesa responsável pala atribuição dos Óscares do cinema francês não gostou das críticas de que foi alvo, principalmente acerca da nomeação do realizador que era um dos favoritos à vitória. Demitiram-se a 15 dias da cerimónia de entrega dos prémios.

Todos os membros da Academia francesa responsável pela atribuição dos prémio César, considerados os Óscares do cinema francês, apresentaram demissão, esta quinta-feira. Em causa as críticas à gestão da Academia depois da nomeação de um filme do realizador Roman Polanski. Entrega dos prémios acontece em duas semanas.

"Para honrar aquelas e aqueles que fizeram cinema em 2019, para encontrar a serenidade e fazer com que a festa do cinema continue a ser uma festa, o conselho administrativo da Associação para a Promoção do Cinema (Academia de Artes e Tecnologia do Cinema) decidiu pedir demissão por unanimidade", indica o comunicado divulgado pela entidade, presidida desde 2003 pelo produtor Alain Terzian, e citado pela AFP.

"Esta demissão coletiva permitirá que seja feita a renovação completa da direção", acrescenta a nota.

Esta segunda-feira foi publicada uma nota no jornal francês Le Monde, na qual cerca de 400 personalidades francesas do cinema, incluindo Omar Sy, Bertrand Tavernier, Michel Hazanavicius, Jacques Audiard, Marina Foïs e Agnès Jaoui, reivindicam uma "reforma profunda" na Academia.

No mesmo texto, criticam o "mau funcionamento", a "falta de transparência na contabilidade" e estatutos que "não mudam há muito tempo" e que se baseiam na "cooptação" - um sistema de organização no qual uma associação nomeia internamente os seus próprios membros, sem interferência de critérios externos.

Outro motivo de mal-estar, escreve a AFP, é a situação do realizador Roman Polanski, que enfrenta acusações de violação e é o líder em indicações da Academia devido ao seu recente filme "J'accuse" - nomeações que incomodam feministas e a opinião pública.

Entidades como Osez le féminisme! ("Ousem o feminismo!") convocaram uma manifestação em frente ao Pleyel de Paris, local onde será realizada a cerimónia de entrega dos prémios César.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG