Cristina Ferreira e a mudança: "Foi como a morte da princesa Diana. Ninguém estava preparado"

Na sua primeira entrevista na SIC, a apresentadora diz que tomou a decisão de deixar a TVI na primeira reunião com o seu novo canal, mesmo sem saber quanto iria ganhar. E desabafa: "Custou-me que me tivesse acusado de ingratidão"

"Vou outra vez começar do zero", disse Cristina Ferreira sobre a sua mudança para a SIC, após 15 anos na TVI, na sua primeira entrevista no novo canal, no Jornal da Noite. Deixa o Você na TV e o Apanha-me se Puderes à frente nas audiências. Esse foi um dos motivos que a levou a deixar a estação da Media Capital. "Não era desafiante para mim".

O que está em jogo é tirar o antigo parceiro do pódio nas manhãs de segunda a sexta e da estação nas noites de fim de semana. "É um grande desafio combater uma televisão que me ajudou a crescer".

A notícia da saída da TVI foi recebida com estupefação no dia 22 de agosto, "Foi como a morte da princesa Diana. As pessoas não estavam preparadas", comparou.

Depois de ter contado num vídeo de promoção da sua revista que tinha chorado quando contou a Manuel Luís Goucha, no Jornal da Noite revelou o apresentador "não se surpreendeu" com a decisão. "Viu-me e perguntou: vais embora?". "Nós sabíamos que aquela dupla seria irrepetível, porque o Manel tem 63 anos, eu tenho 41. Estamos em fases diferentes. Sabíamos desde o primeiro dia que isto ia acontecer".

"Não me mudei por dinheiro"

Entrevistada por Rodrigo Guedes de Carvalho, Cristina Ferreira, 41 anos, contou que tomou a decisão de mudar-se para o canal de Pinto Balsemão na primeira reunião. E que não falou em valores. "Só quem me conhece sabe que estou a dizer a verdade, mas não me mudei por dinheiro."

Os primeiros a conhecerem a decisão foram o pai e depois o filho, Tiago. "A infância dele foi diferente desde o primeiro dia", reconheceu e muito protegida. "Ele está num mundo que não quero partilhar".

Após a notícia da contratação de Cristina Ferreira, valores na ordem dos 80 mil euros por mês foram avançados, sem confirmação. Nesta primeira entrevista, os números também ficaram de fora. "É a minha vida privada", disse a apresentadora. Muito, admitiu."Mas não muito mais do que ganhava na TVI".

Cristina Ferreira diz que se preparou para os comentários que se seguiriam ao anúncio de que trocava a estação de televisão onde era líder pela SIC. "Leio tudo". O bom e o mau, fez questão de dizer. "Custou-me que me acusassem de ingratidão e do dinheiro que ia ganhar."

Licenciada em Ciências de Comunicação, ex-professora de história, a apresentadora começou na TVI em 2003, após um curso de televisão em que Júlia Pinheiro era uma das professores. Conduziu os resumos do Big Brother que iam para o ar à noite até ser convidada para fazer par com Manuel Luís Goucha.

"Entrei para a televisão a ganhar 500 euros por mês e tive de trabalhar muito para passar para 2 mil e depois para outros valores", contou. "Ninguém fica numa empresa em que ganha mais do que dá", adiantou.

"Fazendo justiça, aquilo que deram eu paguei", frisou.

E, puxando a conversa para o tema da igualdade, Cristina Ferreira, disse-se "feliz por ter escolhido uma profissão em que uma mulher pode ganhar mais do que um homem."

Data de estreia ficou no ar

Na primeira das perguntas, Rodrigo Guedes de Carvalho dez "a pergunta do milhão": quando é a estreia? Mas a notícia não saiu da entrevista. Cristina Ferreira salientou que existem questões pendentes - e basta sintonizar a TVI às 19.00 para ainda a ver no ar - mas garantiu quando aconteceu "será como nós o criámos". O nós inclui o diretor de programas da SIC, Daniel Oliveira. "Uma pessoa que pensa a televisão como eu".

"Quando as coisas são feitas de verdade, chegam lá", considerou a apresentadora, lembrando o tempo que, filha única numa aldeia pequena, passou em frente à televisão.

Defensora de uma modelo de televisão generalista - "Todos nós vemos televisão desde que ela seja boa" - garante que a maneira como vê o negócio é semelhante ao que fez ao longo do dia promovendo a entrevista na SIC na suas redes sociais. Também com funções de consultora de comunicação, Cristina Ferreira explicou que está sempre "atenta" ao que se faz e que o lançamento do blogue e outras iniciativas tinham já a ver com essa vontade de fazer antes.

"Quando aceitei o convite já tinha 15 programas feitos", riu-se. Escreve-os desde que começou a trabalhar em televisão, revelou.

Para o final ficou o desafio a Rodrigo Guedes de Carvalho. Deixar o ar sisudo na cadeira do Jornal da Noite e aceitar o convite para estar no programa de Cristina Ferreira.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG