exclusivo
Cultura
13 abril 2022 às 05h00

"Como viver e filmar sem desviar a atenção do sofrimento?"

Grande acontecimento do cinema português, Pathos Ethos Logos, de Joaquim Pinto/Nuno Leonel, chega amanhã às salas: é um objecto monumental, à beira do inclassificável, ligando passado, presente e futuro, reflectindo sobre "a banalidade que acompanhou as maiores atrocidades".