Cantor R Kelly, acusado de abusos sexuais, entregou-se

Acusação, preparada no Illinois, refere vítimas em nove casos com idades entre os 13 e os 17 anos

O R Kelly está detido pela polícia de Chicago, depois de se ter entregue, na sexta-feira à noite. Horas antes, o cantor de R & B (Rythm & Blues) tinha sido indiciado em dez casos de abusos sexuais perpretados no estado do Illinois, alguns remontando a maio de 1998. Kelly deverá ainda hoje ser presente a tribunal.

Nos últimos vinte anos, várias mulheres acusaram o cantor - de 52 anos - de abusos sexuais, mas Kelly só foi forçado a ir a julgamento uma única vez.

Os novos processos, apresentadas no condado de Cook, incluem nove acusações de abusos sexuais sobre três jovens entre os 13 e os 17 anos. A décima acusação refere uma quarta vítima, mas sem especificar a idade.

O cantor, que foi absolvido de acusações de pornografia infantil em 2008, tem insistentemente desmentido todas as suspeitas de abusos sexuais que sobre ele recaiem.

"Ele está extraordinariamente desapontado e desiludido, chocado com isto", disse Steve Greenberg, o advogado de R Kelly (nome artístico de Robert Kelly).

As acusações contidas nos documentos consultados pelo The Guardian falam de contactos entre o pénis do cantor e as bocas, peito e órgãos genitais das vítimas entre 13 e 17 anos. Os supostos factos terão ocorrido de maio de 1998 a maio de 1999; de setembro de 1998 a setembro de 2001; de maio de 2009 a janeiro de 2010; e em fevereiro de 2003.

Várias mulheres acusaram o cantor - autor do super-hit "I Believe I can fly" (ver vídeo) - de comportamento "violento" e "controlador", incluindo-se nessas acusações alegações de que teve sexo com raparigas com não do que 14 anos. Também foi acusado de proceder a "lavagens ao cérebro" a algumas raparigas, conduta que os pais destas qualificaram como sendo de chefe de seita.

Um documentário recente, intitulado "Surviving R. Kelly" ("Sobreviver a R. Kelly"), expôs depoimentos de várias supostas vítimas, o que desencadeou investigações criminais.

Em 2008 foi a tribunal, suspeito de ter filmado encontros sexuais, inclusivamente um em que terá urinado sobre a uma rapariga menos. Foi absolvido porque não ficou assegurado para lá de que qualquer dúvida de que o homem nas imagens era R. Kelly,

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG