Exclusivo Blockbusters. Para que os queremos?

A temporada de verão dos grandes filmes americanos já aí está sem esperar pelo normal funcionamento das salas. Se estes filmes não aumentarem a frequência de público o mercado nacional ficará em apuros. Do novo Fast ao regresso de Suicide Squad há de tudo...

Oprazo de validade dos blockbusters está em risco. Neste ano, de Hollywood vão sobretudo surgir superproduções de 2020, a extensa lista dos filmes que foram adiados. As palavras "adiados" e "blockbuster" juntas não dão propriamente uma fórmula atraente em termos de marketing. Filmes como Free Guy ou mesmo Velocidade Furiosa 9 poderão sair algo prejudicados pelo efeito de espera. Será então o verão do escoamento de uma safra de blockbusters que muitos acreditam que funcionam como teste para perceber como a indústria do cinema poderá reagir às consequências da pandemia.

Na América os sinais da retoma parecem animadores, em especial depois dos números bem simpáticos de Godzilla vs Kong. No fim de semana passado, Um Lugar Silencioso 2 também animou as bilheteiras com quase 50 milhões de receitas, mostrando que há público a voltar às salas, mesmo com algumas delas ainda a abrir lentamente e com restrições na lotação. São os tais sinais positivos que os analistas diziam ser essenciais. Na China, os lucros chegam mesmo a níveis antes de toda esta situação, tal como no Reino Unido em que as receitas já não andam longe dos números de 2019. Por cá, mesmo com a campanha #váaocinema, as salas dos centros comerciais ainda estão com números muito aquém do desejado, já para não falar que as pipocas continuam interditas. Filmes como Godzilla vs Kong ou Um Homem Furioso foram prejudicados pela ausência das sessões mais noctívagas (até dia 13 não há ordem para alívio nas restrições de horários e a nobre sessão das 21h30 continua proibida). Ainda assim, os chamados bulldozers de verão estão aí prontos para ir à guerra, mesmo contra o apelo da praia, das esplanadas, dos filmes em streaming em simultâneo e do Europeu de futebol. Aliás, a própria vaga de sessões de cinema ao ar livre pode também ser uma nova realidade neste contexto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG