O meu Rock in Rio. Da Irlanda do Norte a Portugal

Com camisola autografada por Ivete Sangalo, Alexandre Holanda, de 36 anos, certificou-se que ficava na primeira fila do Palco Mundo. Veio de Belfast, na Irlanda do Norte, diretamente para ver a cantora brasileira.

Mariana de Melo Gonçalves
© Rita Chantre / Global Imagens

"Eu só vim aqui hoje para ver Ivete. Eu fui para o aeroporto às 4 da manhã, a Ivete chegou às 8h da manhã e viemos para cá 10h40. Eu e o fan clube todo", explicou Alexandre.

É a segunda vez que marca presença no Rock in Rio em Portugal, sendo que já esteve também no festival no Brasil. O objetivo foi sempre o mesmo: ver Ivete.

Já Gabriela Ribeiro, de 18 anos, veio ver o namorado atuar no Digital Stage com os Rebels e a Team BRK (tiktokers) e os Black Eye Peas no Palco Mundo. "São as duas atrações principais do dia para mim, de resto estou a descobrir".

Por ser a primeira vez no festival quis vir cedo e garantir um bom lugar. De Cascais levou duas horas para chegar ao Parque da Bela Vista, mas às 10 da manhã já se encontrava na fila.

Gabriela veio preparada para o dia de concertos com uma ventoinha, um chapéu de sol e protetor solar, a chuva mudou os planos. "Começou a chover e se soubesse tinha trazido uma capa de chuva."

O casal Fernando, de 60, e Ana Paula Marinho, de 57 anos, vieram do Porto unicamente pela música e ansiosos por ver Ivete Sangalo.

"Gostamos muito do cartaz que vai estar hoje em exibição. Queremos muito ver Ivete porque é a primeira vez que a vamos ver ao vivo", disse Fernando.

Desde sábado estão num hotel em Lisboa e chegaram às 11h da manhã ao recinto para evitar uma longa fila, como em 2018 experienciaram. Na última edição, assistiram aos concertos de Bruno Mars, Demi Lovato e Anitta.

Beatriz Santos, de 21 anos, veio pela primeira vez ao Rock in Rio também em 2018 para ver Avicii. Este ano, a sensação de voltar a um festival de verão e o cartaz do segundo dia levaram Beatriz a voltar.

"Já tinha muitas saudades. Vim em 2018, então, depois do covid porque não. Vim para ver Ellie Goulding e para estar, claro, com grandes amigos. São essas as razões principais", disse.

Nos seus planos para o segundo dia do festival está voltar à roda gigante para ver todo o recinto. O telemóvel na mão não vai faltar para registar todos os momentos.

"Acho que é muito importante toda a energia que os artistas nos passam e também é importante as pessoas com quem vimos".

Vasco Soares, de 23 anos, trouxe dois amigos: a Rita e o António para ver Black Eyed Peas. Todos de Lisboa, ao chegarem ao recinto a primeira coisa que fizeram foi ir buscar os chapéus laranja da Galp que se veem por todo o recinto.

"Queremos mais ver os concertos da noite e andar de slide" disse Vasco Soares.