74.º Cannes. A turma dos bons repetentes

Foi divulgada quinta-feira a seleção de Cannes, que arranca excecionalmente em Julho, dia 6. Sean Penn, Moretti, Apichatpong e Dumont são alguns dos habitués que regressam e onde há ordem para testar a Covid-19 todas as 48 horas. Um festival que criou também nova secção: Cannes Premiere. O DN vai acompanhar o certame.

Foi divulgada quinta-feira a seleção oficial do Festival de Cannes, a ter lugar dia 6 de julho. Será o maior evento cultural mundial pós-pandemia e nas regras sanitárias todos os acreditados serão obrigados a testes PCR de 48 horas em 48 horas. Uma seleção oficial de grande impacto e que cruza consagrados e nomes emergentes. 24 longas-metragens numa competição que incorpora obras que quiseram esperar um ano depois de já terem sido seleccionadas em 2020, como é o caso dos novos de Apichatpong Weerasethakul, Wes Anderson, Nanni Moretti ou Paul Verhoeven. Ainda assim, sobretudo com aquilo que já se divulgava na imprensa francesa, surpresas muito poucas, apenas talvez a presença de Flag Day, de Sean Penn, o único filme que poderia não estar concluído, um risco grande sobretudo após o vexame do seu anterior The Last Face- A Última Fronteira.

Entre os filmes mais aguardados, para além da abertura com o musical Anette, de Leos Carax, contam-se obras como Red Rocket, de Sean Baker, nome muito estimado daquilo que resta do cinema mais independente americano; Bergman Island, de Mia Hansen-Love, para todos os que veneram Ingmar Bergman; Titane, de Julia Ducournau, jovem cineasta francesa que em 2016 maravilhou o mundo com Grave; Ahed"s Knee, de Nadav Lapid; The Story of My Wife, da húngara Ildiko Enyedi, com um elenco de sonho composto por Louis Garrel, Jasmine Trinca e Léa Seydoux, também protagonista de outros filmes da competição.

Se é verdade que não encontramos aqui cinema da Península Ibérica nem da China, também não é na nova secção Cannes Premiere que encontramos as pistas de Triangle of Sadness, de Ruben Ostlund ou The Power of the Dog, de Jane Campion, títulos que poderiam fazer sentido nesta lista. E nesta nova secção, uma espécie de mostra daquilo que não coube na seleção da competição, estão filmes de cineastas fortes e com ligações a outras edições do festival, com destaque para Andrea Arnold, Matthieu Amalric ou Arnaud Desplechin. São 7 filmes com honras da sala Debussy, o segundo maior ecrã de Cannes, que este ano, mesmo a tempo da necessidade das distâncias, abre em Cannes La Boca um novo multiplex que poderá evitar aglomerados de jornalistas.

Muito estimulante no anúncio de ontem foi a certeza da presença de Stillwater, de Tom McCarthy, com Matt Damon, filme que vai ter direito a sessão fora-de-competição, tal como Aline, biopic de Celine Dion pela mão de Valérie Lemercier; The Velvet Underground, o esperado documentário de Todd Haynes sobre a banda de Nova Iorque e De Son Vivant, de Emmanuelle Bercot, sobre como sabermos viver após o diagnóstico da nossa morte. Catherine Deneuve é a estrela de um filme que foi interrompido depois da atriz ter tido um enfarte na rodagem.

Por sua vez, o Un Certain Regard volta a uma lógica mais cerrada de cinema de pesquisa e de aposta em jovens cineastas. Desta seleção destacam-se ainda assim nomes promissores que já deram provas como Kogonada, Hafsia Herzi ou Justin Chon, cineasta americano que traz Croisette Blue Bayou, com Alicia Vikander.

Competição oficial:

- Annette, de Leos Carax (abertura)
- Flag Day, de Sean Penn
- Tout S"est Bien Passé, de François Ozon
- A Hero, de Asghar Farhadi
- Tre Piani, de Nanni Moretti
- Titane, de Julia Ducournau
- The French Dispatch, de Wes Anderson
- Red Rocket, de Sean Baker
- Petrov"s Flu, de Kirill Serebrenniko
- France, de Bruno Dumont
- Nitram, de Justin Kurzel
- Memoria, de Apichatpong Weerasethakul
- Les Olympiades, de Jacques Audiard
- Benedetta, de Paul Verhoeven
- La Fracture, de Catherine Corsini
- The Restless, de JoachimLafosse
- Lingui, de Mahamat-Saleh Haroun
- The Worst Person In The World, de Joachim Trier
- Bergman Island, de Mia Hansen-Love
- Drive My Car, de Ryusuke Hamaguchi
- Ahed"s Knee, de Nadav Lapid
- Casablanca Beats, de Nabil Ayouch
- Compartment No. 6, de Juho Kuosmanen
- The Story Of My Wife, de Ildiko Enyedi

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG