Vida pode ter surgido logo após o Big Bang

Um astrofísico da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos sugere que o universo era uma "incubadora" quando tinha apenas 15 milhões de anos

O modelo hoje mais aceite pelos cientistas para descrever a evolução do universo após o Big Bang propõe que as primeiras estrelas terão surgido 400 milhões de anos após a grande explosão criadora, o que significa que os planetas e a possibilidade de vida nesses mundos foi posterior.

No entanto, Abraham Loeb, um astrofísico da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, tem uma ideia muito diferente. Segundo ele, a água líquida, algo que é essencial à vida, poderia ter existido em planetas rochosos muito antes disso, quando o universo era apenas um infante de 15 milhões de anos.

Nas contas que fez para chegar a esta conclusão ­ - os resultados foram publicados no site de comunicação científica arXiv, da Cornell University Library - Abraham Loeb diz ter encontrado a possibilidade de condições propícias naquele universo praticamente recém-nascido para a existência de "bolsas" de matéria, onde a água, a temperatura e as moléculas necessárias à vida eram uma possibilidade.

leia mais no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG