Tibetanos esculpiram buda num meteorito

Uma estatueta milenar de um buda, descoberta por uma expedição nazi ao Tibete em 1938, foi esculpida num meteorito, revelaram hoje cientistas alemães.

A estátua, designada "Homem de Ferro", pesa mais de dez quilos, mas não tem mais de 24 centímetros de altura. Pensa-se que representa o deus Vaisravana, o rei búdico do Norte, também chamado Jambhala no Tibete.

A escultura foi descoberta em 1938 por uma expedição de cientistas alemães que se deslocaram ao Tibete em busca de uma hipotética origem da "raça ariana". Ignora-se em que circunstâncias os nazis deitaram mão à na estatueta, mas é provável que a grande cruz suástica que ornamenta o seu ventre os tenha incitado a trazê-la para a Alemanha.

A obra de arte fez depois parte de uma coleção privada em Munique e só depois de ser vendida num leilão, em 2009, se tornou acessível aos investigadores.

Uma equipa do Instituto de Planetologia da Universidade de Estugarda, dirigida por Elmar Buchner, analisou o "Homem de Ferro" e descobriu que foi esculpida num bloco de meteorito ferroso, de uma espécie muito rara.

"A estátua foi esculpida num fragmento de meteorito que caiu na fronteira entre a Mongólia e a Sibéria há cerca de 15 mil anos", explicou Buchner em comunicado.

"Oficialmente, os primeiros fragmentos desse meteorito foram descobertos em 1913 por exploradores de ouro, mas nós pensamos que aquele fragmento foi recolhido muitos séculos antes", sublinhou.

Segundo Buchner, a estatueta do "Homem de Ferro" data do século XI.

Trata-se da única representação humana conhecida esculpida num meteorito, segundo o estudo publicado na revista especializada "Meteoritics and Planetary Science".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG