Skate sem rodas torna 'Regresso ao Futuro' mais real

É uma realidade. Mesmo com muitas limitações, o criador espera que a tecnologia utilizada sirva de base para modificar os transportes atuais.

Quando em 1989 foi estreado o segundo filme da triologia Regresso ao Futuro, as cenas que representavam o ano 2015 alimentaram o imaginário de muitos. Se a tecnologia que, se calhar, mais se desejava ainda parece não ser possível a breve prazo, ou seja, carros que voam, uma empresa americana diz ter criado o primeiro skate sem rodas.

O hoverboard, como foi chamado no filme, é protagonista de uma cena de perseguição, quando Marty McFly (personagem interpretada por Michael J. Fox) tenta escapar à fúria do neto de Biff Tannen (Thomas F. Wilson). Um skate sem rodas, que basicamente paira sobre o chão e só não funciona quando passa por cima de água, a não ser que tenha um motor.

Por enquanto, o hoverboard criado por Greg Henderson tem mais limitações, pois só funciona se pairar sobre superfícies de cobre ou alumínio. O segredo em tornar realidade o que apareceu no filme de Robert Zemeckis, foi criar um campo magnético, sendo necessário que a força que empurra o hoverboard para cima seja igual à que puxa para baixo, ou seja, à força da gravidade.

Segundo o site Boingboing, o CEO da empresa Arx Pax não teve vida fácil em convencer potenciais investidores que era mesmo possível criar um hoverboard. "Quando telefonas a um fornecedor ou a uma loja e dizes-lhe que estás a trabalhar num hoverboard, eles limitam-se a rir e desligam", contou Greg Henderson. O americano conseguiu criar o protótipo e recorreu agora ao Kickstarter, site de crowdfunding, para angariar 250 mil dólares (cerca de 196 mil euros) - até 15 de dezembro -, de forma a conseguir produzir a sua invenção. Dependendo do valor do donativo poder-se-á andar no hoverboard e até ter um... se se pagar dez mil dólares (cerca de oito mil euros).

A ideia do hoverboard até surgiu como uma ambição bem maior: criar um sistema que permitisse proteger casas de inundações. Greg Henderson também acredita a que tecnologia poderá revolucionar os transportes e para tentar que esta possa desenvolvida por quem quer que esteja interessado, é possível comprar um pacote (por 299 dólares, cerca de 235 euros) que inclui um motor como o que alimenta o hoverboard e uma superfície condutora.

Quanto ao hoverboard, para já é possível vê-lo no vídeo (a música será certamente reconhecida pelos fãs da triologia 'Regresso ao Futuro'). Ao vivo terá de se esperar até dia 21 de outubro de 2015, uma data com significado: foi a escolhida por Marty McFly, a namorada e Doc Brown (personagem interpretada por Christopher Lloyd) para viajarem 30 anos até ao futuro. De recordar que a data base de ação dos filmes era 1985 e que o hoverboard volta a aparecer no terceiro filme, quando Marty e Doc Brown estão em 1885.

Greg Henderson espera contar com Michael J. Fox na apresentação do hoverboard, na qual quer leiloar um e doar o dinheiro à fundação do ator, que se centra na pesquisa de tratamentos para a doença de Parkinson, da qual sofre.

A confirmar-se esta invenção, será a segunda a ser tornada realidade do filme, depois da Nike ter anunciado que conseguiu recriar os atacadores automáticos dos ténis futurísticos de Marty McFly. Também só serão mostrados no próximo ano.

Fica ainda a faltar, além dos carros voadores, trelas que não precisem de uma pessoa para passear o cão, mini pizzas que ficam em tamanhos normais depois de passarem pelo microondas ou - talvez a invenção que até poderia dar bastante jeito dado os dias chuvosos que Portugal tem vivido nos últimos meses - um casaco com o sistema de secagem incluído.

Veja, ou recorde, a cena do 'Regresso ao Futuro' em que Marty McFly foge no hoverboard do neto de Biff Tannen.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG