Sistemas operativos Apple com maior número de vulnerabilidades detetadas em 2014

Mais de sete mil novas vulnerabilidades de software foram reportadas ao longo do ano passado. Apple e Linux no topo da tabela dos sistemas operativos. Nos 'browsers', o pior foi Internet Explorer, da Microsoft

As vulnerabilidades informáticas são atualmente um dos maiores riscos de segurança e todos os anos a National Vulnerability Database, sediada nos Estados Unidos, junta à sua base de dados os novos problemas encontrados nos sistemas operativos e noutro software. Em 2014, foram adicionadas a esta lista uma média de 19 vulnerabilidades por dia.

O especialista em segurança informática GFI analisou estes dados no sentido de compreender quais são as novas "tendências" dos 'hackers', designadamente que sistema operativo surge com o maior número de problemas reportado. Os sistemas operativos (SO) da Apple (Mac OS X e iOS) foram os que apresentaram no ano passado maior números de vulnerabilidades, seguidos do 'kernel' Linux. Os sistemas Windows, da Microsoft, surgem a partir do quarto lugar.

Os dados contrariam a ideia muito generalizada de que os SO da Apple são mais seguros do que os de toda a concorrência. E podem ser interpretados como um aumento do interesse dos piratas informáticos em atacar estes sistemas.

Os resultados também se apresentam "duros para os utilizadores Linux [tendo em conta] que alguns dos problemas de segurança mais importante do ano foram reportados em aplicações que normalmente correm em Linux", lê-se no blogue oficial da GFI.

Já quanto aos programas mais vulneráveis, os 'browsers' surgem no topo da lista, com maior número de vulnerabilidades do que outras 'apps' como o Flash Player, da Adobe, ou o Java, da Oracle. Aqui a Microsoft surge no topo da tabela (lugar que já ocupava em 2013), com o Internet Explorer a somar quase o dobro das vulnerabilidades do Google Chrome, o segundo classificado.

Ainda de acordo com a análise da GFI, nos últimos três anos não tem parado de subir o número de vulnerabilidades detetadas em software. Em 2014, houve ao todo 7038 problemas reportados, contra 4794 em 2013 e 4347 em 2012. Nesta segunda década do século XXI, o número mais baixo registado aconteceu em 2011, quando foram detetadas 3532 vulnerabilidades em programas informáticos.

Exclusivos

Premium

Gastronomia

Quem vai ganhar em Portugal as próximas estrelas Michelin

É já no próximo dia 20, em Sevilha, que vamos conhecer a composição ibérica das estrelas Michelin para 2020. Estamos em festa, claro, e festejaremos depois com os nossos bravos, mesmo sabendo que serão poucos para o grande nível a que já chegámos. Fernando Melo* escreve sobre os restaurantes que podem ganhar estrelas Michelin em 2020 em Portugal.