Isto não é spam: recorde de lixo eletrónico em 2014

No ano passado produziram-se 41,8 milhões de toneladas de resíduos. Estados Unidos e Noruega são os piores exemplos nesta área

Em 2014, a humanidade produziu uma quantidade recorde de lixo eletrónico, do qual menos de um sexto foi reciclado, revela um relatório divulgado pela Universidade das Nações Unidas (UNU). No total, os detritos ascenderam a 41,8 milhões de toneladas cujo valor - em caso de reaproveitamento - excedia os 48 mil milhões de euros, devido à presença de componentes de ouro, prata ou cobre.

Os Estados Unidos e a China foram, sem surpresas, os principais contribuidores para o que as nações Unidas descrevem como "mina tóxica", despejando respetivamente 7,1 e 6 mil toneladas. Mas quando se comparam as populações dos dois países, os norte-americanos revelam-se muito mais poluidores, com uma média de 22,1 quilos por habitante ao ano contra apenas 4, 4 da China.

Tendo em conta este indicador do desperdício por habitante, aliás, mesmo Portugal - que não está, a nível europeu, entre os piores casos - apresenta uma média quase quatro vezes superior à chinesa, com 16,1 quilos por pessoa, ainda que isto corresponda e um total de "apenas" 171 toneladas produzidas no ano passado. A partir de 2016, cada Estado membro terá de recolher 45% dos equipamentos que deixaram de ter utilidade no equivalente ao que for colocado no mercado três anos antes.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG